OE2024? "Governo preferiu jogar na prudência e ser cauteloso"

OE2024?

O Presidente da República considerou, esta quarta-feira, que o Governo “preferiu jogar na prudência e ser cauteloso” no que toca à proposta de Orçamento de Estado para 2024, comentando quem apontou o dedo ao Executivo por ser pouco ambicioso nas medidas para recuperar a Economia do país.

“É um orçamento esperado, porque não conta com o aumento das exportações, não conta com o aumento do investimento significativo, privado. Não conta com o aumento do crescimento. O que faz é injetar dinheiro, tentando fazer subir a chamada procura interna, os gastos internos, para equilibrar aquilo que deixa de ser recebido do exterior”, reagiu Marcelo Rebelo de Sousa, após uma visita à Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa.

Vive-se numa conjuntura, considerou, em que “só há uma maneira” de equilibrar as contas, que é voltar-se para aquilo que “não é o ideal”, mas sim “possível”: “Aguentar com o consumo interno.”

Aos jornalistas, o chefe de Estado recordou que, agora, à já instável situação internacional, “soma-se este conflito [em Israel], contido em termos regionais na aparência, mas, de facto, criando uma sensação de instabilidade, que não se sabe se dura dias, semanas ou meses”.

“Ir mais longe em termos de aquecer a Economia pode ser um risco e o Governo preferiu jogar na prudência e ser cauteloso“, disse Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, comentando o OE2024.

Se tivéssemos a certeza sobre como vai correr o mundo e a Europa, provavelmente podia ir-se mais longe

Para o Presidente da República, as opções fiscais feitas pelo Governo, criticadas pela oposição, são, na realidade, “uma questão de escolha”. “Se tivéssemos a certeza sobre como vai correr o mundo e a Europa, provavelmente podia ir-se mais longe“, admitiu, realçando que seria “um grande risco estar, não tanto a atingir o equilíbrio orçamental, porque esse está preservado, mas ir mais longe na injeção de dinheiro“, especialmente “na incerteza sobre se verdadeiramente o crescimento aparecerá na Alemanha – até agora, não -, na França – até agora, não -, em países que são chave para as nossas exportações”.

Já sobre se esta “injeção de dinheiro” é a estratégia correta, ou não, Marcelo Rebelo de Sousa não hesita: “É, porventura, a única possível, na situação em que nos encontramos, e que foi evidente a partir de abril, maio, junho, em que só havia uma maneira de aguentar a quebra naquilo que era as receitas das exportações, do investimento direto. Porventura algumas receitas do turismo, aqui e ali.”

O chefe de Estado realçou o “aumento dos funcionários, dos pensionistas e reformados, várias injeções em várias áreas múltiplas, vão de empresas até certos setores económicos e sociais, para com isso aguentar aquilo que se imagina pode ser chegar ao fim do ano e passar para o ano que vem com um crescimento positivo, dependendo de ser mais ou menos conforme a evolução internacional”.

Sobre as mudanças em termos de IRS, Marcelo Rebelo de Sousa considerou serem “um passo importante para a orientação dos Governos anteriores”, até porque “é a primeira vez que, com a atual liderança, há passos mais afoitos em termos de escalões de IRS”. Mas “também há defesa, com cuidado para não correrem muitos riscos”.

“O Governo está a contar com uma carga fiscal enorme para o ano que vem, com grandes receitas fiscais, porque olhou para a evolução dos últimos anos e está a contar que para o ano entrem mais receitas fiscais. Simplesmente ninguém sabe se vai ser verdade ou não, e até que ponto será verdade. Portanto, é nitidamente um orçamento que injeta dinheiro, vai mais longe que os anteriores, mas sempre com um pé atrás, por causa da situação internacional“, resumiu ainda o chefe de Estado.

[Notícia atualizada às 16h40]

Leia Também: OE2024. Verbas para os Açores alinhadas com previsões do governo regional

PUB

Transferência de crédito: Insatisfeito com o seu crédito? Quem está mal, muda-se: transfira-o para outro banco

Cultura Viagens 10/10/23

Paris é sempre uma boa ideia. Reserve já desde 73€ ida.

patrocinado por Betclic

Os jogos (e as apostas) que prometem aquecer a semana e o fim de semana

Todas as Notícias. Ao Minuto.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Recomendados para si

Fonte: NOTICIASAOMINUTO.COM