Agente da PF que ficou conhecido como 'hipster da federal' falece aos 36 anos

Morreu durante a madrugada desta quinta-feira, 3 de março, o policial federal Lucas Soares Dantas Valença. O rapaz tinha 36 anos de idade e ganhou notoriedade na mídia como hipster da Federal. A morte aconteceu em Buritinópolis, no centro de Goiás. Ele foi assassinado após ter invadido uma residência localizada na zona rural.

O hipster da Federal foi baleado pelo morador da residência, de acordo com a informação divulgada pela Polícia Civil. Adriano Jaime, o delegado responsável pela investigação, explicou que o morador da residência foi preso por posse irregular de arma de fogo. No entanto, ele pagou o valor da fiança e vai aguardar o processo de apuração do caso em liberdade.

Entenda o caso

Amigos e parentes de Lucas Soares, o hipster da Federal, disseram aos policiais que o rapaz estava em surto psicótico desde o dia anterior, de acordo com o que foi informado no boletim de ocorrência. Antes de invadir a casa, Lucas teria gritado do lado de fora afirmando que havia um demônio no local.

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1021620.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Dentro da residência, estava o dono, a filhinha de três anos e a esposa. Segundo o relatado pelo morador, ele escutou barulhos de gente ao redor da casa e muitos gritos com xingamentos. Foi quando o Lucas desligou o disjuntor de energia e invadiu o local arrobando a porta da sala. Com medo e diante da escuridão, o dono da casa acabou atirando no policial usando a sua espingarda. O tiro atingiu o abdômen e o homem explicou aos policiais que agiu em legítima defesa.

“Como as circunstâncias do fato indicam que o autor agiu em legítima defesa, estava dentro da sua casa e defendendo a família, optamos por continuar as investigações somente por meio de inquérito”, afirmou o delegado. O dono da residência afirmou que quando atirou não tinha noção de quem era o invasor.

Depois que religou a energia e viu o invasor baleado ele acionou a polícia e ambulância. Quando os socorristas chegaram puderam apenas constatar a morte do policial.

Continue Lendo Comunicar Erro
(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1014215.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Fonte: I7NEWS.IG.COM.BR