De Kim a Ney: Rando Thiago cita poder das celebs no mercado financeiro

De Kim a Ney: Rando Thiago cita poder das celebs no mercado financeiro

Reprodução/Instagram Kim Kardashian, Elon Musk e Neymar Jr.

É normal que as ações possam ter uma subida ou queda de valores. E diversos fatores podem contribuir para isso, dentre eles, a declaração de guerra, a mudança de governo e os escândalos de corrupção em instituições privadas ou em estatais. Mas, além das questões de comércio exterior e de política internacional, algumas manobras inusitadas podem causar a valorização de um ativo ou a quebra de uma marca.

Um exemplo disso ocorreu em setembro de 2020, quando estrelas americanas boicotaram o Facebook e o Instagram sob o comando de Kim Kardashian, socialite bilionária conhecida principalmente por conta do reality show “Keeping Up with the Kardashians” transmitido pelo canal E!. Com o “Stop Hate For Profit” em alta, o movimento se colocou contra a disseminação de mensagens de ódio e fake news nas mídias sociais. Mesmo em pouco tempo, suas negociações despencaram.

Reprodução/Instagram Kim Kardashian, com mais de 329 milhões de seguidores no Instagram, aderiu ao movimento

“Nos últimos dez anos, os famosos têm feito o mercado de ações flutuar com vários acontecimentos marcantes, desde o escândalo da Pepsi com a modelo Kendall Jenner ao comportamento de Donald Trump”, explicou Rando Thiago, que trabalha agregando conteúdo nas redes sobre a temática financeira.

Outro momento lembrado por ele aconteceu em janeiro de 2022, quando Neymar Jr. comprou três NFTs avaliadas em R$ 6 milhões. O ato chegou a gerar alta no segmento, e até hoje a sua utilização é muito discutida por quem entende do assunto: “Os NFTs são ótimos para essa ideia de terreno virtual, pois cada um é único e comprova facilmente a propriedade digital. Você pode usar o terreno NFT para publicidade, socialização, jogos e trabalho, entre outros casos”.

Divulgação Rando Thiago

Mesmo não sendo um atleta, as jogadas de Elon Musk costumam marcar golaços no âmbito monetário e movimentar as operações de milhares de investidores por todo o mundo. “Um dos pontos que mais chama atenção de especialistas é a aptidão de influência que Musk tem no setor. Suas declarações conseguiram surtir grande impacto numa criptomoeda que possui quase US$ 1 trilhão em capitalização”, revelou Rando.

Para quem não se lembra, no início do ano, o CEO e fundador da marca californiana de veículos elétricos Tesla publicou em sua conta oficial no Twitter a seguinte mensagem: “Use signal”. Só que os seguidores acabaram confundindo o app Signal com atividade de uma corporação que desenvolve sensores para a indústria e a área médica, fazendo com que suas ações subissem quase 12%.



Fonte: GENTE.IG.COM.BR