Vasco vence o Flamengo e quebra tabu de 17 jogos sem vencer o rival

Vasco venceu o clássico contra o Flamengo Reprodução / Instagram Vasco venceu o clássico contra o Flamengo

Com juros e correção, o Vasco encerrou o longo e incômodo jejum sem vencer o Clássico dos Milhões, que durava desde abril de 2016. Na melhor atuação sob o comando de Marcelo Cabo, o Vasco carimbou a faixa de campeão do apático Flamengo , nesta quinta-feira, com uma incontestável vitória por 3 a 1, no Maracanã. Com o resultado, o Vasco, agora com 13 pontos, subiu para o quinto lugar e se manteve vivo na disputa do uma vaga na semifinal da Taça Guanabara . Em segundo, com 19, o Rubro-Negro já estava classificado, mas deixou o estádio de ‘cabeça inchada’.

imagem16-04-2021-08-04-50 Foto: Alexandre Vidal imagem16-04-2021-08-04-52 Foto: Alexandre Vidal imagem16-04-2021-08-04-53 Foto: Alexandre Vidal imagem16-04-2021-08-04-55 Foto: Alexandre Vidal imagem16-04-2021-08-04-56 Foto: Alexandre Vidal imagem16-04-2021-08-04-58 Foto: Alexandre Vidal imagem16-04-2021-08-04-00 Foto: Alexandre Vidal imagem16-04-2021-08-04-01 Foto: Alexandre Vidal imagem16-04-2021-08-04-03 Foto: Alexandre Vidal imagem16-04-2021-08-04-04


Antes de a bola rolar, o jornalista Aloy Jupiara recebeu uma homenagem póstuma um minuto de silêncio. Editor-chefe do jornal O DIA, Aloy faleceu na última segunda-feira, aos 56 anos, como uma das mais de 360 mil vítimas fatais do novo coronavírus no Brasil.

Quatro dias após a conquista da Supercopa do Brasil, na decisão contra o Palmeiras, em Brasília, o Flamengo não teve tempo para se sentir à vontade e imprimir seu dominante estilo de posse de bola e troca de passes. O gol de Léo Matos, revelado na Gávea, ajudou a desmoronar a estratégia de Rogério Ceni. Após a cobrança de escanteio de Zeca, o lateral-direito subiu mais do que Bruno Viana para abrir o placar, aos seis minutos.

Você viu?

Vetado, Arrascaeta fez falta. A uma lesão no tornozelo direito do uruguaio não diminuiu o foco da polêmica no noticiário a poucas horas antes do início do jogo. De acordo com o ‘ge’, o uruguaio e seu empresário, Daniel Fonseca, cobram do clube a compra de 12.5% que pertence dos direitos que ainda pertecem ao Defensor. Fonseca alega acordo verbal, enquanto o clube carioca se atém às cláusulas que exigiam a presença do camisa 14 em 4 mil minutos em campo por temporada.

Ainda que sem Arrascaeta, o Flamengo pouco incomodou. Em vantagem, o Vasco aplicado e motivado após após a polêmica mudança da data do clássico, a pedido da diretoria rubro-negra, não perdoou. Aos 28, Cano aproveitou o bom passe de Morato para aumentar a vantagem e comemorar como jogador de golfe, seu hobbie nos dias de folga, o primeiro gol no Clássico dos Milhões. De Gerson, Diego, Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol pouco se viu no primeiro tempo.

Com a entrada de Matheuzinho e Vitinho no lugar Isla e João Gomes, respectivamente, Rogério Ceni busca uma reação. Com uma boa vantagem, o Vasco colheu os frutos da evolução nas mãos de Marcelo Cabo e superou a pressão imposta no início do segundo tempo. Lucão respondeu com boa defesa na finalização de Gerson e contou com a sorte na finalização de Vitinho que parou na trave.

A pressão aumentou, mas quando o Flamengo superou a encaixada marcação, Lucão se mostrou atento às investidas de Bruno Henrique e Vitinho. Ao sair, o rubro-negro deixou burracos na marcação. E aos 32, Morato não desperdiçou o contra-ataque e, após o ótimo passe de Galarza, deixou Filipe Luís para trás para ampliar: 3 a 0. Marcelo Cabo não quis perder a chance de confirmar o ‘chocolate’ e fechou o Vasco. Com Bruno Gomes e Miranda no lugar de Pec e Andrey, o treinador fechou a ‘casinha’ para encerrar o jejum contra o Flamengo, que acumulava oito vitórias e nove empates no clássico desde 2016.

No fim, o gol de honra de Vitinho, aos 47 minutos, fez pouca diferença e não diminuiu o peso da ótima atuação de Lucão. Do lado rubro-negro, é válido ligar o sinal de alerta após uma péssima exibição às vésperas da estreia na Libertadores, na próxima terça-feira, contra o Vélez Sarsfield, em Buenos Aires.

Fonte: ESPORTE.IG.COM.BR