Após Three, Chelsea também perde patrocínio da Hyundai

Reprodução/Twitter Chelsea A Hyundai estampava as mangas da camisa do Chelsea

A situação do Chelsea após as sanções aplicadas pelo governo do Reino Unido ao seu proprietário, o russo Roman Abramovich, segue ganhando contornos dramáticos. Dias depois de ver a sua principal patrocinadora, a empresa de telefonia móvel Three, pedir a suspensão do contrato, foi a vez da montadora automotiva Hyundai suspender o acordo.

O pedido foi feito neste sábado. Em comunicado, a montadora sul-coreana, parceira e fornecedora oficial de automóveis do clube desde 2018, afirmou que pediu o fim das atividades de marketing e comunicação com o clube até a segunda ordem. Em nota, diz que é “apoiadora orgulhosa dos jogadores, torcedores e do futebol raiz”, adicionando que “apoia o esporte como força para o bem”. Segundo notícias da época da assinatura do contrato, o acordo girava em torno de 10 milhões de libras (66 milhões de reais) por temporada.

Apesar das saídas da Three e da Hyundai, a fornecedora de material esportivo Nike e o serviço de busca de viagens Trivago seguem com acordos ativos no Chelsea. A Trivago chegou a divulgar nota declarando apoio a uma rápida mudança de dono no clube.

Abramovich, apontado como um dos oligarcas ligados ao presidente russo Vladimir Putin, teve seus bens congelados em consequência da invasão russa na Ucrânia, que já dura mais de duas semanas. Com a medida, o Chelsea ficou impedido de vender ingressos e produtos oficiais, bem como fazer transferências e negociar contratos. Na sexta-feira, o governo britânico afirmou que facilitaria uma possível venda do clube, paralisada após as sanções.

No mesmo dia, as contas do Chelsea foram congeladas para análise pelo banco Barclays. Neste sábado, Abramovich perdeu a qualificação com dirigente, por decisão da Premier League.

Enquanto isso, o clube segue atuando sob uma licença especial, com autorização para movimentar dinheiro para o funcionamento do clube e o pagamento de salários. Segundo site “The Athletic”, o Chelsea pode gastar até 900 mil libras por partida, utilizar premiações para pagar salários e gastar até 20 mil libras em viagens.

Fonte: ESPORTE.IG.COM.BR