Cumprindo tabela, Fluminense não sai do 0 a 0 com o Boavista

Divulgação/Flickr Fluminense Fluminense empata sem gols com o Boavista e não alcança recorde

Com partida decisiva na quarta-feira pela Libertadores, contra o Olimpia no Paraguai, e já campeão da Taça Guanabara, o Fluminense entrou em campo na tarde deste sábado, em Bacaxá, com uma mescla de times B e C do elenco para cumprir tabela. Sem jogar bem, o Tricolor empatou em 0 a 0 com o Boavista, pela última rodada do Campeonato Carioca, e não conseguiu alcançar o recorde histórico de 13 vitórias seguidas, conquistada em 1919. 

De olho no Olimpia, Abel Braga poupou não apenas titulares, como reservas que são constantemente utilizados. E assim quem teve poucas oportunidades em 2022 ganhou chances de mostrar serviço. Tanto que o goleiro Muriel, o zagueiro Matheus Ferraz e o jovem lateral-direito Jhonny estrearam na temporada. Entretanto, a escalação sem entrosamento somada ao calor em Bacaxá e ao campo muito ruim não foi uma boa mistura, principalmente pelo péssimo primeiro tempo.

Com três zagueiros sem boa saída de bola (Luccas Claro, Ferraz e Manoel) e Wellington recuando para iniciar as jogadas, além de Nathan sumido, o Fluminense errou muito (principalmente Caio Paulista) e pouco criou. A única grande chance foi aos 12, com Gabriel Teixeira, após tabela com Caio Paulista, chutando em cima do goleiro Fernando. Depois, o Tricolor teve enorme dificuldade e só chegou no fim da primeira etapa, sem muito perigo. Pelo menos tomou poucos sustos do fraco Boavista.

No intervalo, Abelão tirou Nathan e Caio Paulista, que não mostraram serviço, e colocou os jovens Matheus Martins e Marcelo, estreando pelos profissionais. O Fluminense teve pequena melhora, com mais velocidade no ataque, e quase marcou aos 5, com cabeçada de Marcelo parando em Fernando, e aos 18, em chute de Nonato após boa jogada do time.

O Fluminense também correu risco e só não sofreu o gol porque Marquinhos perdeu chance incrível ao receber bola na marca do pênalti sozinho e isolar, aos 31. Abel colocou mais jovens de Xerém que estrearam pelos profissionais (Gabriel Martins, Edinho e Marcos Pedro) e o Tricolor até criou algumas chances, mas não conseguiu a a 13ª vitória seguida. 

Fonte: ESPORTE.IG.COM.BR