Vitor Pereira responde Neto após críticas: ‘Não brinquem comigo’

Instagram Neto

O técnico português Vitor Pereira, que ficou afastado por conta da Covid-19 diante do Boca, aproveitou a vitória do Corinthians diante do Fortaleza para abordar a derrotana rodada anterior do Brasileirão, para o Palmeiras. 

Durante a coletiva, sem citar nomes, ele rebateu críticas que recebeu, entre elas, do apresentador Neto, da Band, sobre supostamente não saber a importância de um dérbi.

“Quando decidimos jogar na Copa do Brasil para recuperar os jogadores. Aí dizem: ‘Não sabem o que é um Dérbi.’ Ele não sabe o que é um Dérbi? Vocês sabem quantos dérbis já joguei na minha vida? Joguei dérbis atrás de dérbis em países em que eles matam, eles nem nos deixam sair. Eu já saí de tanque de guerra de um estádio, do estádio até o aeroporto, na Turquia. Vai me dizer que não sei o que é um dérbi? Não brinquem comigo”, afirmou o técnico do Corinthians”, disse Vítor Pereira.

A resposta vai de encontro as críticas feitas pelo apresentador após a derrota de 3 a 0 para o arquirrival. Após o revés alvinegro, o comentarista Neto usou suas redes sociais para protestar contra as escolhas de Vítor Pereira, que escalou time misto no clássico.  

Leia Também

“Você não sabe o que é Palmeiras x Corinthians. Será que os caras não falaram para você, Vitor Pereira? Você não tem ideia o que é Palmeiras x Corinthians. Com todo respeito a vitória do Palmeiras, você tem que saber o que é Corinthians x Palmeiras! Não é possível jogar desse jeito! Não é possível deixar os caras na reserva. Tem que saber o que é Corinthians x Palmeiras. É muito mais importante que Corinthians x Boca. Não sabe o que Corinthians x Palmeiras, você vai saber depois do jogo!”, desabafou o ídolo corintiano, em seu Instagram.

Ainda na coletiva, ele explicou o verdadeiro motivo que o levou a poupar alguns atletas contra o Palmeiras.

“Pensando no Dérbi contra o Palmeiras, o que fizemos? Vamos arriscar no jogo da Copa (contra a Portuguesa), deixá-los recuperar para chegar no jogo do Palmeiras e do Boca forte. Sabe o que nos aconteceu? Azar! Por muito azar, nessa semana tivemos vários casos de gripe. Quando chegamos do jogo da Copa do Brasil, estavam não sei quantos jogadores doentes, com dores, febre, dificuldades respiratórias. A ideia era chegar para enfrentar o Palmeiras no ápice da nossa força, mas chegamos no dia do jogo com jogadores dizendo que não poderiam jogar. E criticam a mim, porque não sabem. Eu não vim porque foi determinado pelo clube que não haveria entrevista coletiva, senão eu teria vindo, porque gosto de dar a cara, assumo as responsabilidades. Para falar, as pessoas têm que ter informação. Vim envergonhado, por quê? Uma equipe minha a jogar daquele jeito me custou, foi uma facada que levei no peito. O que fizemos com o Boca? Demos a resposta. Se tivéssemos jogado com a equipe dita titular, andaríamos nos arrastando contra o Boca, não teríamos chance alguma. Temos que ter um bocadinho de consciência, perceber que é a única forma de manter o Corinthians competitivo nas diferentes competições”, concluiu o treinador.

Até esse domingo, Vitor Pereira não havia abordado o tema, já que foi impedido pela diretoria do clube de falar após aquela partida, em meio a um “apagão” na comunicação com a finalidade de conscientizar a população sobre o atual momento pelo qual passa o futebol, com violência e ameaças.

Fonte: ESPORTE.IG.COM.BR