Gamer suspeito de assassinar jovem enviou e-mail com detalhes do crime à professora: 'Odiava toda a família'

Na última segunda-feira (22), um crime bárbaro ocorreu na região de Pirituba, São Paulo. A jovem Ingrid Bueno, de 18 anos, foi encontrada morta pelo irmão do suspeito na residência da família. Guilherme Alves foi preso em flagrante e confessou o crime à polícia, afirmando que já vinha planejando a ação há pelo menos duas semanas.

Ingrid e Guilherme se conheceram através de um jogo de tiro virtual chamado Call of Duty: Mobile. O suspeito teria atraído a jovem para sua casa e a assassinado a golpes de faca. Após o crime, Guilherme teria gravado um vídeo do corpo da vítima onde comemora a ação. Na delegacia, o suspeito não mostrou arrependimento e agiu com frieza.

De acordo com o site UOL, após assassinar a jovem, o suspeito teria enviado um e-mail à professora da Universidade Federal do Ceará Lola Aronovich, à frente do blog Lola. No conteúdo da mensagem, Guilherme explica quais foram os motivos que o levaram a cometer o crime.

Ele odiava toda a família. Quando ele diz que se sente superior à metade da população, imagino que se refira às mulheres. Ele fica muito incomodado por depender financeiramente da mãe, ao mesmo tempo, diz que é obrigação dela sustentá-lo”, disse Lola Aronovich, que ainda relatou que o suspeito também se sente frustrado por ter sido abandonado pelo pai.

Misoginia

A professora afirma que o crime está diretamente ligado à misoginia, – ódio às mulheres, e que a maioria dos gamers ingressam no mundo virtual para cultivarem o ódio e normalizarem a ideia da morte. Após ter sido preso, Guilherme afirmou que deixou um livro de 52 páginas onde relata suas ideia e objetivos. O material segue sendo analisado pela polícia.

Continue Lendo Comunicar Erro

Fonte: I7NEWS.COM.BR