Nova regulamentação Forex anima empresários do setor

Em dezembro de 2021, o presidente Jair Bolsonaro aprovou uma nova regulamentação Forex para simplificar a entrada e saída de dólares no país, consequentemente, abrindo espaço para as fintechs atuarem no mercado de câmbio. E no início deste mês de fevereiro, o tema foi discutido por especialistas durante um webinar promovido pela Brazil-Florida Council Inc.

O encontro virtual reuniu um grupo de empresários representando instituições financeiras brasileiras de peso. Durante as falas, eles puderam discutir o impacto da nova lei cambial no mercado financeiro e nos negócios internacionais.

Para quem não sabe, o mercado de foreign exchange (forex) envolve todas as operações de trocas entre moedas de diversos países do mundo. Além de bancos, todos os governos, empresas e indivíduos que transacionam moedas participam deste mercado.

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1021620.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Assim sendo, o forex market impacta toda a economia internacional, além de afetar também outros setores e até mesmo as apostas feitas com base no valor de cada moeda. Por exemplo, com a nova legislação fica mais fácil utilizar o bônus Forex para tentar ganhar dinheiro com as flutuações de cada moeda. Afinal, esse tipo de investimento em renda variável, apesar de trazer riscos, pode ser bastante lucrativo, principalmente para aqueles que aproveitam bônus e promoções de corretoras confiáveis do mercado de câmbio para aumentar as chances de ganhar dinheiro.

Modernização

Se tem algo que muitos especialistas concordaram durante o webinar é que a atualização na lei cambial representa certa modernização. Um dos participantes foi Paulo Brancher, sócio da empresa Mattos Filho, que explicou como esta medida irá reduzir o custo de transações e o impacto que isso causará. Nas palavras de Brancher, a mudança “resultará na desburocratização e fazer com que o país seja inserido internacionalmente” na perspectiva de comércio e investimentos.

Já Larissa Arruy, a vice-presidente da fintech Neon, acredita que esta modernização já vinha sendo esperada, tendo sido vista como necessária pelo Banco Central. Além disso, ela acredita que a atuação do Brasil no mercado cambial vem mudando significativamente. “A gente passa de um arcabouço legal extremamente detalhado que trazia no próprio corpo das leis especificações de como as operações deveriam funcionar para um arcabouço legal muito mais principiológico. Têm dispositivos que trazem muita segurança jurídica em vários aspectos. Potencial transformador para o mercado de câmbio brasileiro”, completa.

Já a presidente e CEO da Associação Brasileira de Câmbio, Kelly Massaro, destacou o papel do Banco Central, concordando com a aprovação da lei. “Tenho certeza que o Banco vai olhar a pujança do mercado, o potencial de crescimento, a prestação de bom serviço e ao mesmo tempo assegurar as ferramentas precisas para a estabilidade do sistema financeiro”, disse, ainda afirmando que a medida trará muitas oportunidades no mercado global para a economia brasileira.

Exportação brasileira

A lei ainda é apreciada por trazer uma melhora na segurança jurídica de operações no exterior – pelo menos é nisso que acredita o conselheiro do Departamento Cambial e de Regulamentação Prudencial do Banco Central do Brasil, Eduardo Nogueira Liberato. O conselheiro ainda destaca que esta lei consolida mais de 440 artigos espalhados em mais de 40 dispositivos normativos.

Em sua fala, Liberato também foca na importância dessa legislação para o financiamento da exportação brasileira e os avanços econômicos que isso traz. Isso porque, atualmente, uma empresa do exterior que importa produtos brasileiros não pode receber financiamento de um banco brasileiro. Contudo, a nova lei permite que instituições daqui financiem “importadores de mercadorias nacionais fazendo com que os exportadores brasileiros de mercadoria se tornem mais competitivos“, reforçou o conselheiro.

Com todo esse avanço na legislação, o diretor do Departamento de Forex do Banco Bradesco, Roberto Medeiros Paula, acredita numa mudança histórica. Em sua fala no webinar, o executivo demonstrou admiração pelo Banco Central, que se mostrou aberto a encarar novas oportunidades de maneira responsável. “A simplificação e a modernização ajudam no ambiente de negócios”, finalizou.

Continue Lendo Comunicar Erro
(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1014215.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Fonte: I7NEWS.IG.COM.BR