Jornalista espanhol é preso na Polônia por ser um espião russo

Reprodução: Redes Sociais Pablo González, espião russo

O jornalista espanhol Pablo González foi preso na Polônia ao tentar cruzar a fronteira com a Ucrânia. O repórter, além de jornalista, trabalhava em segredo como um espião russo. Ele ajudava militares e serviços de inteligência russos, coletando informações no terreno sobre as forças de  resistência ucranianas.

Além disso, a pedido da Rússia, González espionou políticos espanhóis e usou seu papel de jornalista para se infiltrar na mídia que poderia ser contrária aos interesses do Kremlin em diferentes partes da Europa.

Segundo o site espanhol, Total News Agency, o espião tinha o objetivo de apoiar atividades que poderiam desestabilizar a política europeia em favor dos interesses de Moscou. Ademais, ele também tinha o plano de infiltrar-se em Bruxelas e em grupos ligados a movimentos pan-europeus.

Ainda segundo o periódico, Pablo González, que se associou a um grupo pró-rússia chamado “Sociedade Aberta”, também planejava assassinar o investidor George Soros há meses. Para isso, o espanhol manipulou políticos do partido Podemos (Espanha) para se aproximar de Soros e descobrir sua localização na Europa.

Pablo González foi repórter dos jornais espanhóis Público e La Sexta, mas sua principal missão era espionar políticos da Espanha e da Polônia. Sua função era passar informações de inteligência sobre alvos do Kremlin na Espanha, estando em contato permanente com um agente do GRU que trabalha com o título oficial de diplomata na Embaixada da Rússia em Madri.

Leia Também

O jornalista reside em Barcelona, capital de Madri, onde tem um banco de dados computadorizado criptografado sobre políticos e soldados espanhóis, incluindo dados sobre diplomatas dos EUA, Reino Unido, Israel e Austrália que estão e estiveram em missão na Espanha.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.




Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR