Chuvas no Rio de Janeiro: cratera se abre em ponte de Maricá

Prefeitura de maricá Cratera na ponte Mambuca, em Maricá


Uma cratera se abriu e que parte da estrutura da ponte da Mumbuca, em Maricá, cedeu por causa das fortes chuvas . Segundo a prefeitura, agentes municipais orientam os motoristas no local sobre os desvios de tráfego e um engenheiro avalia a condição do local. A Defesa Civil do município registrou, até o momento, 217 ocorrências em 19 bairros, sendo 14 casos de deslizamentos e as regiões mais atingidas foram os bairros do Condado, Centro e Itapeba.

Entre Saquarema e Maricá, uma barreira caiu e interrompeu totalmente o tráfego na altura do km 48 da RJ-106. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ) informou que equipes já se estão no local trabalhando na desobstrução.

O município de Maricá entrou em estágio de Alerta às 21h50  de sexta-feira devido aos registros de chuva moderada a forte. Os pluviômetros registraram os maiores acumulados, nas últimas 24 horas, em Itapeba (261,39mm), Espraiado (227,94mm) e  Ponta Negra (88,41mm). A previsão de chuva para este sábado é de chuva fraca a moderada, podendo ser forte a partir do final da tarde.


Leia Também

Até a manhã deste sábado, dez pessoas foram atendidas nas unidades da rede municipal de saúde de Maricá. O Hospital Municipal Conde Modesto Leal atendeu oito pessoas, sendo um homem eletrocutado que foi atendido e liberado sem gravidade. A UPA 24h de Inoã recebeu dois moradores com alteração na pressão arterial após terem suas casas atingidas pelas chuvas.

Ambas foram atendidas e encaminhadas com quadro de saúde estável ao alojamento montado pela Prefeitura de Maricá.  A Secretaria Municipal de Saúde segue acompanhando os casos relacionados às chuvas e prestando todo o apoio às vítimas com profissionais especializados.

Duas bases de apoio foram montadas em escolas municipais para fazer o acolhimento imediato dos moradores e 42 pessoas desabrigadas ou com dificuldades de retorno para suas residências passaram a noite e madrugada deste sábado.  No momento, 25 pessoas permanecem recebendo assistência com alimentação, água e apoio psicológico de profissionais de saúde.

O Centro Educacional Joana Benedicta Rangel (Rua Nossa Senhora do Amparo, 240, Centro) e a Escola Municipal  Clério Boechat de Oliveira (Jardim Adalberto Alves, no Flamengo) são os dois pontos de acolhimento das famílias desabrigadas e também recebem doações de roupas, roupas de cama e materiais de higiene pessoal.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR