Datafolha: Kim lidera rejeição na disputa pela Prefeitura de São Paulo

Datafolha: Kim lidera rejeição na disputa pela Prefeitura de São Paulo

Twitter/@kimkataguiri Kim Kataguiri, deputado federal pelo União Brasil e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo


O Datafolha publicou sua primeira pesquisa de intenção de voto para a  disputa eleitoral de 2024 na cidade de São Paulo na quinta-feira (31). Além de ser o penúltimo candidato no ranking das intenções de votoo deputado Kim Kataguiri (União Brasil – SP) lidera os índices de rejeição, com 35% dos eleitores entrevistados afirmando que não votaria nele “de jeito nenhum”. 

A pesquisa ouviu presencialmente 1.092 eleitores da capital paulista, com 16 anos ou mais, entre terça (29 e quarta (30). A margem de erro é de três pontos percentuais.

O deputado federal  Guilherme Boulos (PSOL-SP) está liderando a corrida eleitoral nesse momento, com 32% das intenções de voto, seguido pelo prefeito Ricardo Nunescom 24% e pela deputada federal Tabata Amaral (PSB-SP)com 11%.

Kim Kataguiri é o penúltimo colocado, com 8%, acima apenas de Vinicius Poit (Novo), com 2%.


Confira o ranking das intenções de voto entre 29 e 30 de agosto de 2023:

Guilherme Boulos: 32%;

Ricardo Nunes: 24%;

Tabata Amaral (PSB): 11%;

Kim Kataguiri (União): 8%;

Vinicius Poit (Novo): 2%

Branco ou nulo: 18%

Nenhum: 5%

Rejeição 

Atrás de Kim Kataguiri, os pré-candidatos Guilherme Boulos (26%) e Ricardo Nunes (29%) tiveram um empate técnico no índice de rejeição, visto que a margem de erro é de 3%. A pessoa menos rejeitada foi a deputada Tabata Amaral (PSB), com 23%.

Além disso, 8% disseram que não votariam em nenhum dos candidatos, 2% afirmaram não rejeitar ninguém e 9% não sabem ou não quiseram responder a este item da pesquisa.

Kim Kataguiri comemorou o crescimento de sua intenção de voto, que era de 3,3% em março, segundo o instituto Paraná Pesquisas, para os atuais 8% aferidos pelo Datafolha. 



Ao  iG, o deputado afirmou que enxerga sua rejeição “com naturalidade”, porque o resultado bate com pesquisas internas. Ele atribui esse cenário ao seu nível de desconhecimento junto ao eleitorado da capital. 

“O eleitorado que me conhece pouco tem uma rejeição alta a mim por não conhecer minhas propostas, não conhecer meu trabalho no meu mandato”, disse o pré-candidato. 

Kataguiri afirma que para a campanha, sua estratégia será “vencer esse desconhecimento, ou mau conhecimento, mostrando as propostas, o plano de governo, o trabalho que já fiz no meu 1º mandato e no início desse segundo mandato”.

[email protected] (IG) Kim Kataguiri declarou que o índice de rejeição já era esperado

“Serei candidato”

Além da rejeição e baixo índice de intenção de voto, Kim Kataguiri enfrenta uma batalha interna no União Brasil para tentar convencer o diretório municipal a lançar sua candidatura.

Até o momento, parte do partido prefere apoiar o atual prefeito, Ricardo Nunes (MDB), em vez de lançar candidato próprio. A esse respeito, o deputado afirma que a ala do União Brasil contrária à sua candidatura “é uma ala minoritária que ficou ainda menor depois da pesquisa”, e assegura: “serei candidato”.

Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR