Estado brasileiro anuncia acordo para fabricação da primeira vacina contra a Covid-19 registrada no mundo

Nesta terça-feira (11), o presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou que a Rússia conseguiu registrar a sua vacina contra a Covid-19, e deve começar em breve a aplicação na população em longa escala. O imunizante é o primeiro a ser registrado no mundo, e ainda gera alguns desconfianças de cientistas de outros países, principalmente pela rapidez.

Horas depois do anúncio dos russos, o governo do Paraná comunicou que vai assinar um convênio com o país europeu para fabricar a vacina, que foi batizada de Sputinik 5, em homenagem ao primeiro satélite lançado ao espaço. 

Ao que tudo indica, o convênio deve ser assinado pelo governado Ratinho Júnior (PSD) e o embaixador da Rússia, Sergey Akopov, às 14h nesta quarta-feira (12). 

A responsabilidade de operação das etapas do imunizante, desde pesquisas até aplicação na população será do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar).

Previsão

Apesar de todo o cenário de expectativa, a tendência é que o imunizante só seja distribuído no segundo semestre do próximo ano. A vacina ainda depende da liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que possa ser liberada para os testes. 

Após a assinatura, o próximo passo do governo é o compartilhamento de todo o protocolo russo com a Anvisa, justamente para que o imunizante seja autorizado para ser utilizado em estudos. 

Alta procura

Segundo o chefe do fundo soberano da Rússia, Kirill Dmitriev, nesta terça-feira (11), o país já recebeu pedidos de 20 países por 1 bilhão de doses da Sputinik 5. Desenvolvido em tempo recorde, o imunizante foi testado em humanos em um intervalo de apenas dois meses, e já apresentou os resultados positivos para ser devidamente liberado. 

Continue Lendo Comunicar Erro Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece CLIQUE AQUI

Fonte: I7NEWS.COM.BR