Segundo dia do Enem digital teve abstenção de 71,3%

Foto: Fabio Pozzebom/Agência Brasil Sobre o alto índice de abstenção, Alexandre Bastos, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), destaca que a infraestrutura foi oferecida, mas fazer ou não a prova é uma escolha individual

A segunda prova do Enem Digital, realizada neste domingo (7), teve abstenção total de 71,3%, superando a ausência no primeiro dia, quando a taxa chegou a 68,1%. O número foi divulgado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame.

Dos 93 mil inscritos, apenas 26,7 mil compareceram aos locais de prova. Na versão impressa do Exame Nacional do Ensino Médio, a ausência foi menor, mas ainda ficou acima da metade dos inscritos (51,5% no primeiro dia e 55,3% no segundo) e da média histórica. 

De acordo com Alexandre Lopes, presidente do Inep, a taxa alta de abstenção era esperada, já que no primeiro domingo de Enem digital 68% não compareceram. 

Você viu?

“Como era projeto-piloto, a primeira aplicação, entendemos que estamos muito satisfeitos com resultado, porque nós conseguimos entregar aquilo que nós nos propusemos. A participação do estudante é uma opção de cada participante, da nossa parte é garantir que as pessoas consigam fazer a prova e se tiver algum problema, garantir a reaplicação”, afirmou Lopes.

“Em ano de pandemia, com todas as dificuldades de conseguir locais de prova, de conseguir pessoas para aplicarem a prova, o Inep conseguiu manter sua proposta de fazer Enem digital já na edição de 2020 e conseguimos fazer essa aplicação. Estamos muito satisfeitos com o resultado, muito satisfeitos por poder oferecer aos jovens do Brasil essa nova opção, que é o Enem digital, e que a partir de 2026 será obrigatório”, acrescentou Alexandre Lopes, presidente do Inep.

Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR