Imóveis encarecem 1,59% em 2021, mas preços devem baixar no 2° semestre; entenda

Mercado de imóveis usados cresce 84,77% no trimestre no Estado de São Paulo Redação 1Bilhão Educação Financeira Mercado de imóveis usados cresce 84,77% no trimestre no Estado de São Paulo


Os preços do mercado imobiliário subiram 0,48% em maio. A pesquisa FipeZapdivulgada na última quarta-feira (2), mostrou que o índice acumula um aumento de 1,59% em 2021 e de 4,36% nos últimos 12 meses

O levantamento, que acompanha o comportamento do preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades brasileiras, mostrou que a variação mensal do índice é inferior ao comportamento esperado do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para o mesmo mês (+0,68%). 

Se a variação se confirmar, o preço médio de venda de residencias encerrará maio com queda em termos reais (-0,19%). Individualmente, 15 das 16 capitais monitoradas apresentaram elevação no preço médio no mês. As principais foram Manaus (AM), com 2,18%, Vitória (ES), com 1,63% e Goiânia (GO), com alta de 1,40%.

Você viu?


A única exceção entre as capitais foi Campo Grande (MS), onde houve queda de 0,21%. São Paulo registrou alta de 0,29% no preço médio e superou o avanço de imóveis residenciais no Rio de Janeiro (0,13%).

A variação anual de 1,59% é menor que a inflação acumulada de 3,06% no mesmo período, segundo o IPCA. Caso essa expectativa se confirme, a variação acumulada da pesquisa FipeZap e da inflação ao consumidor resultará em uma diminuição de 1,43% no preço médio de venda dos imóveis residenciais. 

A média de venda em imóveis foi de R$ 7.615/m² entre as 50 cidades monitoradas. Dentre as 16 capitais, o Rio apresentou o maior preço, R$ 9.530/m², seguida por São Paulocom R$ 9.491/m² e Brasília (R$ 8.214/m²). As capitais mais baratas são Campo Grande, com R$ 4.368/m², Goiânia à R$ 4.656/m²) e João Pessoa  à R$ 4.678/m².

Fonte: ECONOMIA.IG.COM.BR