Pesquisadores descobrem robôs chineses nas redes sociais que incentivaram protestos nos EUA

Como você se sentiu com essa matéria?

Rede de robôs chineses tentou influenciar protestos nos Estados Unidos, diz pesquisa.Rede de robôs chineses tentou influenciar protestos nos Estados Unidos, diz pesquisa.| Foto: LookerStudio/BigstockOuça este conteúdo

Milhares de contas falsas pró-China usaram dezenas de plataformas de mídias sociais para mobilizar manifestantes asiático-americanos nos Estados Unidos, de acordo com um relatório de pesquisadores de segurança cibernética dos EUA.

Uma rede coordenada de contas-robôs pró-China que opera em 30 plataformas de mídia social e ainda mais de 40 sites e fóruns fez postagens em pelo menos sete idiomas diferentes, numa tentativa de influenciar a política americana, apontou um relatório (8) publicado nesta quarta-feira pela empresa de segurança cibernética Mandiant Threat Intelligence, uma subsidiária da FireEye.

A rede promoveu algumas mensagens políticas pró-China, como a afirmação do governo chinês de que a Covid-19 se originou em Fort Detrick, Maryland, e links para estudos que mostrariam que o vírus estava presente nos EUA em dezembro de 2019.

“Essas contas postaram mensagens semelhantes e, em muitos casos, idênticas, e se engajaram no compartilhamento coordenado, assim como comentários e curtidas de texto, imagem e conteúdo de vídeo”, escreveram no relatório os pesquisadores da Mandiant, Ryan Serabian e Lee Foster,.

Os robôs também tentaram persuadir os asiático-americanos a se engajarem em protestos contra Guo Wengui, um bilionário chinês exilado e amigo próximo do ex-estrategista-chefe da Casa Branca Steve Bannon, bem como a virologista chinesa Dra. Li-Meng Yan, que disse que a Covid-19 se originou em um laboratório chinês.

A rede compartilhou imagens adulteradas de manifestantes asiático-americanos segurando cartazes com o rosto de Yan e alegou que “apoiadores” de Guo estavam atacando asiático-americanos.

“A tentativa de mobilizar fisicamente manifestantes nos EUA fornece um aviso prévio de que os responsáveis por isso ​​podem estar começando a explorar meios mais diretos de influência e também pode ser um indicativo de uma intenção emergente de fomentar atividades no mundo real fora dos territórios da China ”, escreveram Serabian e Foster, acrescentando que não encontraram evidências de que as chamadas para a mobilização foram bem-sucedidas.

Os pesquisadores disseram que detectaram a rede de robôs pela primeira vez em junho de 2019, quando suas atividades eram limitadas ao Twitter, Facebook e YouTube. Eles disseram que a rede expandiu seu escopo e alcance e está tentando influenciar uma gama maior de questões.

“Os atores por trás desta campanha expandiram significativamente sua presença online e parecem estar tentando estabelecer uma presença em tantas plataformas quanto possível para alcançar vários públicos globais”, escreveram os pesquisadores.

Embora os pesquisadores não tenham vinculado explicitamente a ação de robôs ao governo chinês, contas falsas pró-China foram encontradas anteriormente amplificando as mensagens das autoridades chinesas em plataformas de mídia social.

Ailan Evans é jornalista da The Daily Caller News Foundation.

© 2021 The Daily Signal. Publicado com permissão. Original em inglês.

Deixe sua opinião

Como você se sentiu com essa matéria?

Veja mais matérias que causaram reações nos leitoresAtualizado às

Encontrou algo errado na matéria?comunique errosSobre a Gazeta do Povo xSobre a Gazeta do Povo

Fonte: GAZETADOPOVO.COM.BR