Idoso morre de raiva humana após acordar com morcego no pescoço; conheça os sintomas e tratamento

Um idoso de 80 anos do estado de Illinois, nos Estados Unidos, morreu em decorrência da raiva humana nesta semana. Em agosto, ele acordou com um morcego em seu pescoço. Foi oferecido tratamento médico, mas o homem rejeito. Um mês depois ele começou a apresentar sintomas como dores de cabeça e musculares, além de dificuldades para se locomover e falar.

O animal que atacou o idoso foi apreendido e exames constataram que ele tinha o vírus da raiva. Este foi o primeiro caso de morte por raiva humana em Illinois desde 1954. O caso acendeu um alerta sobre esta doença que tem letalidade próxima dos 100%.

Raiva humana: o que é, como transmite e tratamento

A raiva pode afetar qualquer mamímero, inclusive o ser humano. Ela é causada pelo vírus do gênero Lyssavirus. A mortalidade é próxima de 100%. Em toda história, apenas uma pessoa que desenvolveu o quadro de raiva humana sobreviveu, mas teve sequelas. A raiva pode ser transmitida ao homem por mordidas, lambidas e arranhões de animais infectados.

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1021620.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

O vírus pode ficar incubado durante anos no ser humano. O mais comum, porém, é que a incubação dure 45 dias. Após o período de incubação, surgem sintomas como mal-estar, dores de cabeça, dores de garganta, irritabilidade, náuseas, entre outros.

O quadro evoluiu e febre, ansiedade e delírios são sintomas comuns. Normalmente, dos primeiros sintomas até o óbito passam de dois a sete dias. Tudo é muito raiva. O ideal no tratamento é vacinação antirrábica. Por isso, quando uma pessoa mordida por cachorro, por exemplo, é levado ao hospital, recebe diversas vacinas. A vacinação antirrábica impede que o vírus se desenvolva.

Continue Lendo Comunicar Erro
(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1014215.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://assets.revcontent.com/master/delivery.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
var script=document.createElement(‘script’);script.src=’https://backstage.i7.network/tags/728a61cb4d272644/index.js?rd=’+(Math.random()*10000000000000000);document.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(script);script.onload=function(){new i7Tag({‘placement’:’i7_articles_feed’});}
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Fonte: I7NEWS.IG.COM.BR