Adolescente de 16 anos implora para receber tratamento após hospital o rejeitar: 'Eu não quero morrer'

A mãe de um adolescente de 16 anos de idade está travando uma luta contra o sistema de saúde para conseguir deixar o filho vivo. Isso porque o hospital está tentando mandar o jovem para casa para ele receber cuidados ao lado da família.

William Verden é acometido de uma doença rara e precisa de um tratamento especial para se manter vivo. Porém, os médicos acreditam que seu autismo complexo impede que o adolescente possa ser tratado de maneira adequada.

Amy, a mãe de William, se diz aterrorizada diante da decisão dos médicos e acredita que se trata de uma sentença de morte para o filho. A mulher conta que já está preparada para ir à Suprema Corte impedir que o hospital deixe de fornecer o tratamento adequado ao adolescente.

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1021620.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Eles o estão mandando para casa para morrer. Eu nunca vou deixar isso acontecer. Se William estivesse com dor ou estivesse preso à cama, é claro que eu não gostaria que ele sofresse – mas ele tem uma qualidade de vida incrível.“, desabafa Amy.

William também fez um apelo emocionante: “Não quero morrer. Meus tubos me mantêm seguro“, disse o adolescente, que segundo a mãe tem uma boa qualidade de vida, pratica golfe e até brinca com crianças.

De acordo com Amy, o filho é tem autismo, déficit de atenção e hiperatividade. Ela conta que se o adolescente não passar por diálise, processo ao qual vem sendo submetido, pode ter apenas dias de vida.

Segundo o especialista, William está com o rim bastante deteriorado. Mas os profissionais que o atenderam anteriormente disseram que o rapaz não poderia passar pelo tratamento devido ao seu alto grau de autismo, pois o paciente chegou a tentar retirar os aparelhos algumas vezes. Equipes de segurança da unidade de saúde precisaram intervir para conter o comportamento do jovem.

Continue Lendo Comunicar Erro
(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1014215.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Fonte: I7NEWS.IG.COM.BR