EUA autorizam medicamento contra Covid-19 da Pfizer para pacientes de alto risco

Como você se sentiu com essa matéria?

O medicamento Paxlovid sendo produzido em Freiburg, Alemanha. O antiviral da Pfizer contra Covid 19 recebeu autorização de uso nos Estados UnidosO medicamento Paxlovid sendo produzido em Freiburg, Alemanha. O antiviral da Pfizer contra Covid-19 recebeu autorização de uso nos Estados Unidos| Foto: EFE/EPA/PFIZER INC.Ouça este conteúdo

A Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos, autorizou nesta quarta-feira um medicamento contra Covid-19 produzido pela farmacêutica Pfizer. O medicamento, chamado Paxlovid, é a primeira pílula antiviral contra a doença aprovada no país.

O medicamento foi autorizado para pacientes com 12 anos ou mais e que sejam mais vulneráveis a casos graves de Covid-19 por fatores como obesidade, diabetes ou idade avançada.

Dados de estudos clínicos da Pfizer indicam que o tratamento com o medicamento oral pode reduzir em até 89% o risco de hospitalizações e mortes entre os pacientes de alto risco. Os dados mais recentes confirmam que o medicamento é um “potente inibidor” da variante ômicron.

A pílula antiviral é combinada com uma dose baixa de um medicamento contra HIV chamado ritonavir.

Como o tratamento com os comprimidos da Pfizer poder ser realizado de forma simples e sem que o paciente saia de casa, se espera que o fármaco se torne uma ferramenta crucial no combate à pandemia, em um momento em que a ômicron, a variante mais contagiosa do coronavírus e dominante nos EUA, fez com que o número de casos disparasse.

Até agora, todos os tratamentos para a Covid-19 permitidos nos EUA utilizavam medicamentos administrados por injeções ou por via intravenosa.

O tratamento deverá ser iniciado no prazo máximo de cinco dias após o aparecimento dos sintomas, e para comprá-lo será necessário apresentar uma receita médica.

O comprimido, que deve ser tomado duas vezes por dia durante cerca de cinco dias, bloqueia a atividade de uma enzima específica que o coronavírus precisa replicar no corpo humano, um mecanismo semelhante ao do medicamento desenvolvido pela farmacêutica MSD.

A Pfizer disse que está pronta para iniciar a distribuição imediata de seus comprimidos e aumentou a produção de 80 milhões para 120 milhões de unidades até o próximo ano.

Genéricos

Em novembro, a Pfizer anunciou um acordo que permitirá que o Paxlovid seja produzido e vendido por preços baixos em 95 países de baixa e média renda. O acordo entre a farmacêutica e a Unitaid, parceira da Organização Mundial da Saúde (OMS) em emergências sanitárias, prevê a produção de genéricos dos comprimidos para torná-lo mais acessível à população global. A Pfizer não receberá por direitos de patente pela produção dos genérico, enquanto a OMS mantiver a declaração da Covid-19 como uma emergência internacional de saúde.

Deixe sua opinião

Como você se sentiu com essa matéria?

Veja mais matérias que causaram reações nos leitoresAtualizado às

Encontrou algo errado na matéria?comunique errosSobre a Gazeta do PovoxSobre a Gazeta do Povo

Fonte: GAZETADOPOVO.COM.BR