Hong Kong prende seis funcionários de site de notícias por “sedição”

Como você se sentiu com essa matéria?

Autoridades de Hong Kong têm recorrido às chamadas leis de sedição da época colonial para prender e intimidar ativistas e críticos do governoAutoridades de Hong Kong têm recorrido às chamadas leis de sedição da época colonial para prender e intimidar ativistas e críticos do governo| Foto: EFE/EPA/JEROME FAVREOuça este conteúdo

A Polícia de Hong Kong prendeu nesta quarta-feira (29, horário local) seis atuais ou ex-funcionários do site de notícias pró-democracia Stand News. Segundo informações da agência Reuters, eles são acusados de “conspiração para veicular publicações sediciosas (insurreição contra a autoridade estabelecida)”.

Os detidos são três homens e três mulheres, com idades entre 34 e 73 anos, em cujas residências foram realizadas buscas. O Stand News informou que um dos presos é Ronson Chan, vice-editor do site e chefe da Associação de Jornalistas de Hong Kong.

Em junho deste ano, executivos do jornal pró-democracia Apple Daily já haviam sido presos por suposto “conluio com um país estrangeiro”. Posteriormente, o periódico encerrou atividades.

As autoridades de Hong Kong têm recorrido às chamadas leis de sedição do território, da época em que pertencia ao Reino Unido, para prender e intimidar ativistas e críticos do governo.

Essa legislação não vinha sendo utilizada desde o fim da era colonial, em 1997, mas isso mudou após a promulgação da nova lei de segurança nacional, imposta por Pequim em junho de 2020, uma resposta aos protestos pró-democracia realizados em Hong Kong desde o ano anterior.

Deixe sua opinião

Como você se sentiu com essa matéria?

Veja mais matérias que causaram reações nos leitoresAtualizado às

Encontrou algo errado na matéria?comunique errosSobre a Gazeta do PovoxSobre a Gazeta do Povo

Fonte: GAZETADOPOVO.COM.BR