Policial é morto em frente a delegacia no Guarujá após briga com PMs

Reprodução/ Folha de S. Paulo Eduardo Brazolin, policial civil morto em frente à delegacia

Um policial civil foi assassinado em frente à Delegacia Sede de Guarujá, na Baixada Santista. O crime aconteceu na madrugada de segunda-feira (28) após uma briga dele com policiais militares.

A vítima foi o agente Eduardo Antonio Brazolin, de 64 anos. Ele havia ido à unidade policial junto com o filho que disse ter sido abordado por dois PMs na praia da Enseada. Segundo a Folha de S. Paulo, um dos militares teria feito referência ao policial civil, ressaltando não ter medo dele. Com isso, Brazolin levou o filho até a delegacia para prestar queixa por ameaça.

Informações relatadas por uma testemunha, em depoimento, indicam que o agente se dirigiu aos dois PMs quando deixava a unidade. Ele, o filho e um total de cinco militares se envolveram em uma discussão até que houve disparos de tiros.

De acordo com a publicação, dois PMs já confirmaram ter efetuado tiros de fuzil, um militar também foi baleado no ombro. Brazolin morreu na hora.

Leia Também

Briga antiga

O jornal aponta que a briga entre o policial civil e os militares começou em 2020. Outro filho do agente, o advogado Eduardo Diogo Cardoso, disse que a história começou quando o pai dele viu os dois PMs adulterando a cena de um crime.

O delito em questão seria a morte de um amigo deles em uma troca de tiros. Desde então, a família passou a ser ameaçada e caluniada pelos militares, segundo Cardoso.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR