Brasileiras contratam barrigas de aluguel na Ucrânia e podem ficar sem bebês: 'muito sofrimento'

Muitos casais brasileiros, que não podem ter filhos, recorrem à barriga de aluguel na Ucrânia. Em meio a guerra que assola o país, mulheres brasileiras estão desesperadas com o risco de ficarem sem seus bebês. A barriga de aluguel é permitida no país localizado no leste europeu.

O processo de fertilização é feito em laboratório, e o embrião é formado a partir dos espermatozoides do marido e dos óvulos da esposa. Em seguida, é depositado no útero da mulher que atuará como barriga de aluguel. Há inúmeras clínicas que realizam o serviço na Ucrânia.

No Brasil, a prática de pagamento pela barriga de aluguel é proibida. O procedimento só é permitido se a mulher que ceder a barriga para a gestação não receber por isso e for parente de até quarto grau do homem e mulher que querem ter filho.

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1021620.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Uma das brasileiras que está apreensiva com a guerra e com os planos de ser mãe é Priscila Rodrigues Bogucki. A administradora de empresas viajaria para Ucrânia no dia 25 para pegar seu bebê. “A gente já passou por muito sofrimento esse período todo lidando com a infertilidade”, disse durante entrevista ao programa Fantástico, da Globo. Apesar da dificuldade, ela mantém a esperança de que tudo dará certo. O bebê que está para nascer já tem nome: João Levi.

Uma outra mãe, que preferiu não se identificar, fez um apelo às Forças Armadas e ao Governo Federal para que ajude as mães a buscarem seus filhos, gerados por meio de barriga de aluguel na Ucrânia. A mulher afirmou que está desesperada e disse que precisa de socorro.

Ela também contou ao Fantástico, sem mostrar o rosto, que nasceu para ser mãe e que a barriga de aluguel foi a única forma de ela ter um filho dela e do marido. Na Ucrânia, no ano de 2020, havia pelo menos 16 clínicas especializadas neste procedimento.

Continue Lendo Comunicar Erro
(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1014215.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Fonte: I7NEWS.IG.COM.BR