Rublo desaba e BC da Rússia sobe juros para 20% após novas sanções

Felipe Moreno Vladimir Putin, presidente da Rússia

A cotação do rublo desabou 29,67%, para um recorde de 119,5 por dólar, no mercado asiático nesta segunda-feira (28) e registrou valores mínimos em relação ao dólar e ao euro na abertura da Bolsa de Moscou, após a nova rodada de sanções impostas pela União Europeia e pelos Estados Unidos. Para atrair investimentos e fortalecer a moeda, o Banco Central da Rússia anunciou que dobrará a taxa básica de juros para 20%.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

O rublo era negociado a 90 unidades por dólar nesta segunda-feira em Moscou, contra 83,5 na quarta-feira da semana passada, último dia de funcionamento antes da guerra. Na sexta, foi cotado na faixa dos 83 dólares e, no fim de semana, chegou a ser vendido acima de 100 dólares em casas de câmbio.

Em relação ao euro, a moeda russa tinha cotação de 101,19 por euro contra o nível anterior de 93,5, na semana passada.

“O Banco da Rússia tomará novas decisões sobre a taxa básica com base em uma avaliação dos riscos associados às condições externas e internas e na resposta dos mercados financeiros a esses riscos”, afirmou o Bando Central russo comunicado.

Leia Também

Antes do anúncio, os juros básicos estavam em 9,5% ao ano, informa a AFP.

Na noite deste sábado (26), após dias de negociações, os países-membros da União Europeia, os Estados Unidos e o Reino Unido anunciaram que chegaram a um acordo para excluir “alguns bancos russos” do sistema financeiro Swift e para congelar ativos e bens do Banco Central da Rússia.

A medida foi formalizada ainda neste domingo (27) pelo bloco e pelos países no mais duro pacote de sanções anunciado até o momento. O documento ainda deve conter o fechamento do espaço aéreo de toda a União Europeia.

Fonte: ECONOMIA.IG.COM.BR