Crítica de Guedes ao BNDES estremece relação com servidores

Lorena Amaro Fala de Guedes em evento de comemoração dos 70 anos do BNDES gera revolta entre servidores

Desde o evento de comemoração dos 70 anos do BNDES, nesta segunda-feira (20), o clima entre os servidores da instituição é de revolta. Isso porque, na ocasião, o ministro da Economia Paulo Guedes teceu uma série de críticas a posturas recentes tomadas pelo bancoentre elas, a decisão de entrar com ação no Tribunal de Contas da União (TCU) argumentando que a devolução antecipada de valores antes do prazo geraria perda de dinheiro.

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

“Temos um orgulho enorme de fazer parte do BNDES. Temos uma cerimônia bonita de entrega de medalhas por tempo de serviço, uma tradição consolidada. Para, no evento, o ministro esculhambar a casa. Eu fiquei envergonhado como brasileiro e empregado do banco. Ontem, foi um marco do desrespeito institucional”, afirmou Arthur Koblitz, presidente da Associação dos Funcionários do BNDES e integrante do conselho administrativo do banco.

Na ocasião, o ministro da Economia Paulo Guedes afirmou que, apesar de a instituição ter retornado R$ 240 milhões à União, o banco ainda estaria devendo dinheiro e que o BNDES “aplicou uma rasteira” no governo ao entrar com a ação no TCU.

“A gestão do Paulo Guedes apresenta uma agenda negativa para o banco, sem ter propostas, de aceitar todos os pedidos de devolução de empréstimos feitos a longo prazo. A partir de 2008, foram concedidos para o banco empréstimos de, no mínimo, 40 anos, para que o banco pudesse responder à crise. Todos foram pagos antecipadamente, desrespeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal”, continua.

Fonte: ECONOMIA.IG.COM.BR