Promotoria argentina acusa piloto iraniano e tripulação por indícios de relações com terrorismo

Como você se sentiu com essa matéria?

Hotel onde estão os iranianos acusados, em Ezeiza, na Grande Buenos Aires| Foto: EFE/Juan Ignacio RoncoroniOuça este conteúdo

A promotora argentina Cecilia Incardona acusou por indícios de relação com o terrorismo o piloto iraniano e o restante da tripulação de um avião venezuelano que está retido no país.

A acusação ocorre depois que o FBI confirmou que o piloto, Gholamreza Ghasemi, é membro das Forças Quds, uma divisão da Guarda Revolucionária Islâmica, definida pelos Estados Unidos como uma organização terrorista.

“Com o andamento das tarefas investigativas aqui realizadas, surgiram vários indícios que impõem a necessidade de continuar a investigação sobre Gholamreza Ghasemi, toda a tripulação a ele vinculada, a aeronave e sua carga, de acordo com as obrigações do Estado argentino, para prevenir e punir atos de terrorismo”, apontou a procuradora no seu parecer, ao qual o site Infobae teve acesso.

“Tais circunstâncias irregulares levam a indagar se o verdadeiro objetivo da chegada da aeronave a nosso país foi exclusivamente o transporte de mercadorias de autopeças, ou se foi fundamentado em outros motivos que não os alegados e constitui, eventualmente, ato de preparação para fornecer bens ou dinheiro que possam ser usados ​​para uma atividade terrorista, seu financiamento ou organização”, acrescentou Incardona.

A tripulação era composta por cinco iranianos e 14 venezuelanos e seus passaportes já haviam sido apreendidos.

O avião, um Boeing 747 em configuração de carga, pertenceu à companhia iraniana Mahan Air e atualmente é da Emtrasur, uma subsidiária do Consórcio Venezuelano de Indústrias Aeronáuticas e Serviços Aéreos (Conviasa). As duas empresas são sancionadas pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos.

Deixe sua opinião

Como você se sentiu com essa matéria?

Veja mais matérias que causaram reações nos leitoresAtualizado às

Encontrou algo errado na matéria?comunique errosSobre a Gazeta do PovoxSobre a Gazeta do Povo

Fonte: GAZETADOPOVO.COM.BR