Justiça condena opositor e mais 14 pessoas por suposto atentado contra Maduro

Como você se sentiu com essa matéria?

Faixa com mensagem pedindo liberdade para Juan Requesens no Palácio Federal Legislativo da Venezuela, em Caracas| Foto: EFE/Rayner PeñaOuça este conteúdo

O ex-deputado venezuelano Juan Requesens, opositor a Nicolás Maduro e que já estava detido, foi condenado a oito anos de prisão pelo crime de conspiração por envolvimento num suposto atentado contra o ditador em Caracas em agosto de 2018.

A informação foi divulgada no Twitter pelo advogado de Requesens, Joel García, que denunciou arbitrariedades no processo. “O Ministério Público não conseguiu provar a responsabilidade de Juan Requesens em nenhum dos sete crimes pelos quais foi acusado. O juiz não tem como condená-lo e ele deveria ter sido absolvido, mas nossa Justiça está sequestrada”, criticou.

Durante um desfile militar há quatro anos, dois drones explodiram. Sete guardas nacionais ficaram feridos, mas Maduro não se machucou.

A advogada especializada em direitos humanos Tamara Suju informou que outros 14 réus, entre civis e militares, também foram condenados a penas que variam de cinco a 30 anos de prisão.

O líder opositor Juan Guaidó, considerado o presidente de fato da Venezuela por Brasil, Estados Unidos e outros países, apontou no Twitter que o julgamento teve caráter político.

“Juan Requesens é deputado da Assembleia Nacional, defensor da democracia, amigo, pai, filho e um venezuelano que jamais desistirá de suas convicções. A ditadura o sequestrou e o manteve privado de sua liberdade como mecanismo de perseguição de toda uma sociedade que resiste”, escreveu.

Deixe sua opinião

Como você se sentiu com essa matéria?

Veja mais matérias que causaram reações nos leitoresAtualizado às

Encontrou algo errado na matéria?comunique errosSobre a Gazeta do PovoxSobre a Gazeta do Povo

Fonte: GAZETADOPOVO.COM.BR