TSE ordena exclusão de vídeo em que Lula pede voto

Ricardo Stuckert Lula terá que obedecer decisão judicial

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT terão que apagar de seus perfis nas redes sociais trechos de vídeo em que o pré-candidato à Presidência pede voto antes do começo da campanha. A decisão partiu da ministra Maria Claudia Bucchianeri, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), nesta sexta-feira (5).

O petista participou de um evento em Teresina, no Piauí, na última quarta (3), e pediu aos seus apoiadores para que votassem nele, no candidato ao Senado Wellington Dias (PT) e no candidato ao governo Rafael Fonteles (PT). O PDT entrou com uma ação no TSE e alegou que o Partido dos Trabalhadores realizou campanha antecipada.

“Eu queria pedir para vocês… Cada mulher ou cada homem do Piauí que tem disposição de votar em mim, que tem disposição de votar no Wellington, eu queria pedir para vocês que no dia 2 de outubro vote em mim, vote no Wellington, mas primeiro vote no Rafael porque ele vai cuidar do povo do Piauí”, falou Lula na ocasião.

Segundo artigo 36 da lei das eleições, qualquer propaganda eleitoral só poderá ocorrer em 16 de agosto. “O pré-candidato pode muito, mas não pode pedir voto explicitamente, situação que, ao que parece, é aquela objeto desta representação”, diz a ministra do TSE no documento em que ordena a retirada dos vídeos.

Ela ainda destacou que a republicação poderá ser feita, mas apenas no período da campanha.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR