Ciclone no RS: uma pessoa morre após fortes chuvas em Rio Grande

Ciclone no RS: uma pessoa morre após fortes chuvas em Rio Grande

Reprodução / Instagram – 13.07.2023 Governador do Rio Grande do Sul em exercício, Gabriel Souza (MDB), durante coletiva de imprensa com a Defesa Civil nesta quinta-feira (13)

Na manhã desta quinta-feira (13), a Defesa Civil e o Governo do Rio Grande do Sul  confirmaram uma morte em decorrência do  ciclone extratropical que atinge a região Sul e causou diversos estragos no estado durante a madrugada.

Segundo as informações, a vítima era uma mulher de Rio Grande, no sul do Rio Grande do Sul, que morreu após uma árvore atingir a casa em que ela estava, no bairro Maria dos Anjos.

“Rio Grande foi um dos municípios mais atingidos pela força dos ventos por estar no litoral, […] e realmente houve esse óbito nessa localidade”, afirmou o governador do Rio Grande do Sul em exercício, Gabriel Souza (MDB), em coletiva de imprensa nesta quinta. “Mais detalhes serão divulgados assim que disponíveis pelas nossas forças de segurança”.

De acordo com a Defesa Civil, até o momento, há 10 desalojados e cerca de 90 desabrigados no estado, mas o número ainda está sendo atualizado e deve aumentar.

À imprensa, Gabriel Souza disse ter determinado a suspensão das aulas ainda ontem e que hoje o governo avalia os danos causados às instituições de ensino. A orientação é que as aulas continuem de forma remota.

Na ocasião, ele alertou que, mesmo com a saída do ciclone, os rios podem extravasar e causar enchentes. A Defesa Civil pediu que as pessoas que moram perto de rios que tenham risco de transbordar deixem suas casas e se dirijam às residências de familiares ou até mesmo a abrigos identificados pelas prefeituras dos municípios.

“A previsão que nós temos para o inverno desse ano é, infelizmente, de muita chuva ainda nos meses de agosto e setembro, o que pode ocasionar outros eventos dramáticos como esse que estamos vivendo”, afirmou Souza.

“O dano econômico está sendo muito significativo para a economia gaúcha em 2023”, disse o governador em exercício, ao citar que já é o terceiro ciclone que atinge a região somente neste ano.

O governador do estado, Eduardo Leite (PSDB), passou o cargo para seu vice, Gabriel Souza, no último sábado (8) devido a uma viagem a trabalho que fez aos Estados Unidos. 

Ciclone causou estragos

Nesta madrugada, o ciclone causou estragos na região Sul do Brasil. Diversos pontos registraram quedas de árvores, rodovias foram danificadas e casas e carros foram destruídos após as fortes chuvas e ventos intensos.

Além do Rio Grande do Sul, Santa Catarina também foi bastante afetada pelo ciclone. Em Chapecó, ruas ficaram inundadas devido às chuvas.

Foram registrados ventos de quase 100 km/h, e o nível do rio Caí elevou-se de 7,92 metros para 10,44 metros na tarde dessa quarta.

De acordo com o Climatempo, o ciclone ainda vai continuar próximo ao litoral do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina nesta quinta. A previsão é que as rajadas de vento também atinjam áreas no sul e leste de São Paulo e pontos altos da serra do Rio de Janeiro.

Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR