Nicarágua prende socióloga que participou de protestos por democracia

Nicarágua prende socióloga que participou de protestos por democracia

Como você se sentiu com o conteúdo dessa matéria?

Melba Damaris Hernández participou até 2020 de protestos de estudantes por democracia no campus da recém-confiscada Universidade Centro-Americana (UCA)| Foto: Reprodução/XOuça este conteúdo

A ditadura da Nicarágua prendeu na noite de segunda-feira (28) a socióloga e ativista Melba Damaris Hernández, que até 2020 participou de protestos de estudantes por democracia no campus da recém-confiscada Universidade Centro-Americana (UCA).

A informação da prisão foi confirmada ao jornal Confidencial por uma fonte da ONG Unidade Nacional Azul e Branco (Unab), à qual a socióloga de 54 anos está vinculada.

Hernández havia participado dos grandes protestos realizados em 2018 contra a ditadura de Daniel Ortega, violentamente reprimidos pelo regime sandinista, e, segundo relatos, ajudava familiares de presos políticos e atendia jovens que necessitavam de medicamentos, alimentação ou alojamento.

A opositora e ativista Haydée Castillo informou no X (novo nome do Twitter) que Melba Hernández foi levada para a prisão feminina La Esperanza, na cidade de Tipitapa. Hoje, a Nicarágua tem 16 presas políticas.

No caso da UCA, que teve seus bens confiscados pela ditadura de Ortega há duas semanas, a instituição passou a ser perseguida porque acolheu manifestantes feridos durante a repressão aos protestos por democracia de 2018.

Deixe sua opinião

Como você se sentiu com o conteúdo dessa matéria?

Veja mais matérias que causaram reações nos leitoresAtualizado às

Encontrou algo errado na matéria?comunique errosSobre a Gazeta do PovoxSobre a Gazeta do Povo

Fonte: GAZETADOPOVO.COM.BR