Marido é condenado por planejar a morte da esposa 43 anos após o crime

Marido é condenado por planejar a morte da esposa 43 anos após o crime

Reprodução Mulher foi morta após plano do marido


O caso de Carol Morgan, assassinada por espancamento em 1981, foi solucionado após 43 anos. O britânico Allen Morgan, de 72 anos, foi condenado por planejar o crime contra sua então esposa.

A vítima foi agredida por um homem desconhecido na cidade de Leighton Buzzard, e a justiça do Reino Unido tratou o crime como inconclusivo. Porém, tudo mudou quando uma testemunha prestou depoimento aos investigadores, revelando que Allen queria contratar um matador para assassinar Carol, reabrindo o caso em 2018.

Jane Bunting, atualmente com 60 anos, conheceu o então casal em um bar pouco antes do crime. Ela relatou que tinha 17 anos e que o condenado perguntou ao seu namorado na época se ele conhecia alguém que pudesse cometer o assassinato.

Inicialmente, a investigação considerava a hipótese de roubo seguido de morte, mas como não existiam provas suficientes, a justiça optou por deixar o caso como inconclusivo.

Allen Morgan alegou na década de 1980 que encontrou o corpo da esposa, de 36 anos, na loja que o casal possuía. Ele contou, na ocasião, que tinha ido ao cinema na cidade de Luton com os dois filhos, o que serviu de álibi para não levantar suspeitas sobre sua participação no crime. No entanto,  ele havia contratado o assassino para espancar a mulher.


Condenação

Sua então amante, e agora esposa, Margaret Morgan, de 75 anos, foi acusada de participar do crime, mas foi inocentada.

Já Allen Morgan, foi sentenciado em 31 de julho deste ano. No julgamento, Jane Bunting relatou que Allen dizia “odiar Carol” e que “queria que ela morresse”.

O assassino matou a vítima ao espancá-la e depois a feriu com um facão. O criminoso ainda levou £400 em dinheiro.

Quer ficar por dentro das principais notícias do dia?  Clique aqui e faça parte do nosso canal no WhatsApp

Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR