Com recorde de casos, Argentina mantém plano de flexibilização

Reprodução/Twitter Presidente Alberto Fernández esteve reunido com equipe técnica nesta quarta-feira

Nesta quinta-feira (16), um dia após a confirmação dos piores valores diários de novos casos e mortes causadas pela pandemia do Covid-19 , a Argentina manteve os planos de flexibilização da rígida quarentena na Região Metropolitana da capital Buenos Aires.

Leia também

Em entrevista à rádio AM750, o infectologista Tomár Orduna, um dos médicos que compõe a equipe responsável por auxiliar o presidente Alberto Fernández nas tomadas de decisões sobre a quarentena no país, lamentou que os recordes tenham sido batidos exatamente na véspera da divulgação da nova etapa, mas que a “decisão já estava tomada”.

“Os números foram um soco no estômago para nós. Vínhamos de sete ou oito dias com registros diários na casa de 3 mil, 3,5 mil, e achamos que este seria o patamar máximo. Porém, não foi assim, e isso aconteceu exatamente quando já havíamos decidido dar o próximo passo nas medidas de relaxamento”, afirmou Orduna.

A fala ocorre após encontro da equipe médica com o presidente Fernández e o chefe do governo da cidade de Buenos Aires , Horacio Rodríguez Larreta. Apesar dos valores negativos, Orduna foi categórico ao defender as medidas, ressaltando que o número poderia ser muito maior se a quarentena não tivesse sido implementada.

“O pico é alto, mas não podemos exagerar esses valores. Estamos fazendo muitos testes, o que normalmente acaba por aumentar os registros. Porém, da forma como estamos encarando o problema, a projeção é que não cheguemos a ter situações como as ocorridas na Itália e na Espanha”, ressaltou o médico.

Por fim, ele ainda indicou que a taxa de letalidade do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no país está controlada e que a taxa de ocupação dos leitos de UTI para os pacientes da doença em Buenos Aires, área mais atingida e que concentra cerca de 90% dos casos, está em cerca de 65%.

“Há um consenso de que podemos avançar para a próxima fase, a decisão já está tomada. Estamos tomando todas as precauções possíveis e seguiremos analisando a situação semana a semana”, finalizou.

Fonte: economia.ig.com.br/2020-07-16/covid-19-mesmo-com-recorde-de-mortes-argentina-mantem-plano-de-flexibilizacao.html