Levantamento da UFPR alerta para perigo de álcool em gel adulterado

Pixabay UFPR alerta para qualidade do álcool no Brasil



Um levantamento informal do Laboratório de Ressonância Magnética Nuclear (LabRMN), do Departamento de Química da Universidade Federal do Paraná (UFPR) levantou um alerta para o perigo de adquirir álcool em gel ineficaz: cerca de 80% das amostras analisadas mostraram algum grau de inconformidade.

Das 28 amostras entregues ao LabRMN pela comunidade até outubro, 21 tinham percentual de álcool etílico abaixo do recomendado. Cinco amostras apresentaram teores de álcool inferiores a 40%. O principal erro observado foi o percentual de álcool etílico abaixo do recomendado, o que faz com que os produtos não sejam o “álcool 70”.

Em entrevista à CBN, o professor Anderson Barison, do Departamento de Química da UFPR, explicou que a maioria das amostras tinha teor alcoólico inferior ao recomendado pela OMS, o que as torna ineficazes contra o vírus. A OMS recomenda entre 68 e 72% de álcool.

“Se você colocar uma quantidade mínima de álcool etílico , ele vai ter o cheiro de álcool, então não tem como o consumidor saber se o álcool é de boa qualidade. Por isso é muito importante que as pessoas solicitem a análise pra gente, que mandem essa amostra”, alertou o professor.

Ainda de acordo com o pesquisador, a pesquisa busca informar os consumidores sobre a qualidade do álcool no mercado, mas não possui valor judicial. As amostras são enviadas por consumidores de todo o País.

Fonte: saude.ig.com.br/coronavirus/2020-10-29/80-do-alcool-gel-vendido-no-brasil-e-ineficaz-contra-virus-diz-ufpr.html