Butantan vai antecipar entrega de 600 mil doses da CoronaVac para sexta (30)

Mais 600 mil doses serão entregues na próxima sexta feira (30) Foto: Reprodução/Governo de São Paulo Mais 600 mil doses serão entregues na próxima sexta-feira (30)

O governo estadual de São Paulo anunciou que vai antecipar a entrega de 600 mil doses da vacina CoronaVac para a próxima sexta-feira (30). O anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB) durante a coletiva de imprensa realizada no Instituto Butantan nesta quarta-feira (28).

Antes, a entrega desse lote estava pevista para o dia 3 de maio. “Graças ao trabalho em quatro turnos, 24h por dia, incluindo sábados, domingos e feriados, nessa sexta entregaremos mais 600 mil doses”, comemorou o governador.

A antecipação das entregas ocorre após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, admitir dificuldade para aplicação da segunda dose do imunizante por escassez. 

Você viu?

Dimas Covas, diretor do Butantan, destacou que é importante tomar a 2ª dose da CoronaVac mesmo se a pessoa perder o prazo de 28 dias. “Essa é uma dúvida que tem aparecido frequentemente nesses locais em que ocorrerá o atraso, se há alguma interferência na resposta vacinal. Não. Mesmo que a pessoa tome 15 dias, 20 dias, um mês após a data prevista, não há interferência com o esquema vacinal”, disse o diretor.

A aplicação da segunda dose do imunizante produzido pelo Instituto Butantan está pendente em diversas regiões do país: 416.507 mil pessoas de três grupos prioritários aguardam o reforço para completar o esquema vacinal.

Segundo Queiroga, a razão para o atraso na distribuição é a demora na chegada do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) ao Brasil, que tem atrapalhado a produção no Butantan.

“Em alguns estados, em decorrência da dificuldade com o IFA vindo da China, o Butantan não fez as entregas, não por responsabilidade do Butantan, que é uma grande instituição [mas sim pelo atraso na chegada do IFA]”, afirmou Queiroga.

Diante do atraso, o Ministério da Saúde informou que a segunda dose da vacina deve ser tomada mesmo fora do prazo – assim que estiver disponível. No caso da CoronaVac, o intervalo máximo originalmente previsto pelo Instituto Butantan entre a primeira e a segunda dose é de 28 dias.

“A população deve tomar a segunda dose da vacina Covid-19 mesmo que a aplicação ocorra fora do prazo recomendado pelo laboratório. Essa é a orientação do Ministério da Saúde, que reforça a importância de se completar o esquema vacinal para assegurar a proteção adequada contra a doença”, disse o órgão, em nota distribuída à imprensa.

Cronograma do Butantan

O Instituto Butantan recebeu no dia 19 de abril uma remessa de Insumo Farmacêutico Ativo para a produção de novas doses da vacina. Ao todo foram recebidos 3 mil litros para a produção de 5 milhões de doses da CoronaVac. O Instituto está em tratativas da Sinovac para receber um novo lote de insumos, com no mínimo mais 3 mil litros.

O Butantan deve  entregar mais 54 milhões de doses para vacinação dos brasileiros até o dia 30 de agosto, totalizando 100 milhões de unidades. 

Entregas da vacina ao Ministério da Saúde:

17/1 – 6 milhões
22/1 – 900 mil
29/1 – 1,8 milhão
5/2 – 1,1 milhão
23/2 – 1,2 milhão
24/2 – 900 mil
25/2 – 453 mil
26/2 – 600 mil
28/2 – 600 mil
3/3 – 900 mil
8/3 – 1,7 milhão
10/3 – 1,2 milhão
15/3 – 3,3 milhões
17/3 – 2 milhões
19/3 – 2 milhões
22/3 – 1 milhão
24/3 – 2,2 milhões
29/3 – 5 milhões
31/3 – 3,4 milhões
05/4 – 1 milhão
07/4 – 1 milhão
12/4 – 1,5 milhão
14/4 – 1 milhão
19/4 – 700 mil

Fonte: SAUDE.IG.COM.BR