Estudo com vacina da AstraZeneca irá imunizar população adulta de Botucatu; veja

Estudo com vacina da AstraZeneca irá imunizar população adulta de Botucatu; veja Renato Alves / Agência Brasília Estudo com vacina da AstraZeneca irá imunizar população adulta de Botucatu; veja

Após Serrana, no interior de São Paulo, receber um estudo do Instituto Butantan que vacinou toda sua população adulta para testar os efeitos da CoronaVac, agora será a vez de Botucatu, também no interior paulista, sediar uma pesquisa científica sobre Covid-19. Segundo o Ministério da Saúde, a cidade de cerca de 150 mil habitantes foi escolhida para um estudo de eficácia da vacina da AstraZeneca/Oxford.

Ainda não há data para o início da pesquisa, que pretende vacinar todos os 106 mil moradores da cidade que são maiores de 18 anos em até oito meses. Além de imunizar toda a população adulta, os cientistas pretendem fazer o sequenciamento genético de todos casos positivos no período. Com isso, será possível saber se o antígeno produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é eficaz contra todas as cepas que circulam na cidade.

“O grande diferencial desse projeto é o sequenciamento genético de todos os casos positivos, não só de uma amostragem. Ou seja, todos os casos positivos, num período de oito meses de estudo, serão sequenciados para saber exatamente qual é a cepa e avaliar exatamente qual é a efetividade da vacina da AstraZeneca com relação a casos graves, internação, necessidade de ventilação mecânica e óbito”, disse o secretário municipal de Saúde de Botucatu, André Spadaro, durante apresentação da iniciativa no Ministério da Saúde.

Localizada a cerca de 240 km da capital paulista, Botucatu conta com uma unidade do Hospital das Clínicas da Universidade do Estado de São Paulo (Unesp) e tem mais de 500 leitos de UTI, o que faz com que o município seja referência na região. As doses de vacina necessárias para a pesquisa serão doadas pelo Programa Nacional de Imunização.

Você viu?

Além do ministério da Saúde, da Fiocruz e da prefeitura de Botucatu, a pesquisa envolve o laboratório AstraZeneca, a Universidade de Oxford, Fundação Gates, Unesp e Embaixada do Reino Unido.

“Essa fase de estudos é justamente para avaliar a efetividade da vacina contra as possíveis variantes desse vírus. Então, nós vamos vacinar a população de Botucatu inteira. Essa pesquisa trará resposta acerca do que queremos saber o uso da vacinação”, disse o ministro Marcelo Queiroga, nesta terça-feira (27), ao falar sobre a iniciativa.

Em Serrana, o Butantan vacinou 28.380 com duas doses da CoronaVac entre fevereiro e o último dia 10. Embora resultados oficiais ainda não tenham sido apresentados, autoridades do município notaram que os casos confirmados de Covid-19 e as internações graves diminuíram de forma significativa.

Fonte: SAUDE.IG.COM.BR