UFMG deve convocar 40 mil voluntários para testar vacina brasileira

UFMG deve convocar 40 mil voluntários para testar vacina brasileira Kaique Lima UFMG deve convocar 40 mil voluntários para testar vacina brasileira

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) anunciou recentemente a criação de uma vacina brasileira contra Covid-19, a terceira após a ButanVac e a da USP de Ribeirão Preto. Agora, voluntários humanos vão começar a serem recrutados para os testes. São esperados cerca de 40 mil para receberem a vacina.

A expectativa do Centro de Tecnologia em Vacinas (CTVacinas) é concluir os testes até o fim do ano para que a vacina esteja pronta em 2022. Para os testes iniciais a instituição de ensino vai receber cerca de R$ 30 milhões. O recurso foi aprovado em reunião da Assembleia Legislativa de MG.

Na última semana, foram iniciados os testes dos imunizantes em macacos. Os resultados da vacina até o momento são considerados satisfatórios e a próxima fase é o ensaio clínico com voluntários humanos.

Testes da vacina com voluntários humanos

“As pessoas acham que são valores altos (R$ 30 milhões), mas se compararmos com o preço da tecnologia que temos importado, inclusive vacinas que estão escassas e que a gente não consegue ter acesso a elas, é estrondosa a diferença do preço da tecnologia nacional”, disse a reitora da UFMG, Sandra Goulart, na Assembleia Legislativa.

Você viu?

Esses ensaios serão divididos em três fases. A fase 1 tem como objetivo demonstrar segurança do imunizante. A 2 a taxa e imunização e a 3 finalmente mostra a eficácia. As duas primeiras etapas envolvem cerca de 500 candidatos. Já a 3 envolve de 30 a 40 mil voluntários para testarem a vacina.

A vacina da UFMG é uma das três vacinas brasileiras em testes atualmente. A primeira delas a ser anunciada é a ButanVac, feita pelo Instituto Butantan, em São Paulo. A segunda é desenvolvida pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP).

Fonte: SAUDE.IG.COM.BR