ADEM: conheça detalhes e sintomas da doença que provocou paralisia total da mãe internada há 5 meses

A história da jovem Érika Cléia Soares, de 25 anos, acometida por uma doença rara na gestação, gerou grande comoção nas redes sociais. Ela já está internada há cinco meses em um hospital publico da capital mineira, Belo Horizonte. A enfermidade atinge o sistema nervoso central, afetando regiões importantes do corpo, como a fala e os movimentos. Contudo, vale ressaltar que, apesar da gravidade, o problema não é irreversível.

A mulher deu à luz sua segunda filha em uma cesárea de emergência que ocorreu com 35 semanas de gravidez. A bebê, que nasceu no dia 6 de setembro, recebeu alta e já foi para casa, porém, a mãe ainda segue sem uma data prevista para receber alta. De acordo com o especialista Fidel Meira, médico neurologista que está acompanhando Érika, a maioria dos casos da enfermidade são causados por uma infecção viral ou bacteriana.

Os principais sintomas da ADEM – Encefalomielite Disseminada Aguda, são redução nos reflexos, paralisia muscular e movimentos mais lentos. No entanto, o especialista explica que tudo vai depender de qual foi a área atingida pelo vírus. O médico explicou que a ADEM costuma ser mais presente nas crianças. Com o tratamento adequado, a pessoa pode melhorar ou ter algum tipo de sequela. 

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1021620.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

imagem13-01-2022-03-01-10

Fidel Meira explicou que a enfermidade pode ser confundida com esclerose múltipla. Inclusive, o profissional citou o caso de uma paciente que teve a mesma doença e, após quatro meses de tratamento, apresentou uma melhora e conseguiu se recuperar sem ficar com sequelas. Porém, é preciso de um acompanhamento criterioso com uma reabilitação multidisciplinar, mesmo depois da alta.

imagem13-01-2022-03-01-12

Mesmo após liberação para ir para casa, a pessoa pode continuar com algumas limitações, sendo essencial a terapia com fisioterapeuta, fonoaudiólogo e terapia ocupacional.

Continue Lendo Comunicar Erro
(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1014215.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Fonte: I7NEWS.IG.COM.BR