Microsoft prevê criação de chatbot ultratecnológico de pessoas que já morreram

A Microsoft obteve autorização para o registro da patente de uma tecnologia que permitirá criar um robô capaz de simular a personalidade de uma pessoa real, incluindo as que já morreram. A partir de então, a ferramenta permitirá a simulação de uma conversa com reações semelhantes às do indivíduo em questão.

De acordo com informações apuradas pelo site Protocol, a propriedade intelectual foi registrada pela gigante do mundo da tecnologia em 2017, usando a seguinte frase como descrição da patente: “criando um bot de bate-papo conversacional de uma pessoa específica”.

Para funcionar, a tecnologia precisa que o usuário autorize a captação de seus dados pessoais, incluindo mensagens de texto e de voz, postagens em redes sociais e fotos. Com essas informações captadas por um terminal, a máquina conseguirá se adaptar à personalidade da pessoa, ficando cada vez mais fidedigna a depender da quantidade de dados armazenados.

De acordo com a patente tecnológica, a possibilidade de iniciar uma conversação via chatbot com uma pessoa já falecida faz parte do universo de alternativas existentes para o uso da ferramenta. Na prática, porém, a ideia é automatizar rotinas do dia a dia, como enviar mensagens, responder e-mails, checar as redes sociais, pedir comida, dentre vários outros recursos.

Cabe lembrar que o registro da patente não necessariamente indica que a tecnologia virá ao mercado para ser comercializada. Geralmente, as empresas se apropriam dessas ferramentas com propósitos puramente científicos, ou mesmo para o aprimoramento ou desenvolvimento de produtos secundários.

Continue Lendo Comunicar Erro

Fonte: I7NEWS.COM.BR