WhatsApp passará a autodestruir fotos e vídeos recebidos pelos usuários de maneira permanente

O aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp começa a testar a possibilidade das fotos e vídeos serem apagados em questão de segundos após serem trocados entre os seus usuários. O recurso já faz parte de seu concorrente menos popular, o Telegram, que é utilizado por muitas pessoas que pretendem recorrer a esta funcionalidade.

De acordo com o WABetaInfo, a ferramenta vai se chamar “Expiring Media” e, assim como no app russo, o remetente da mensagem poderá escolher um prazo para que o arquivo esteja no ar para ser visualizado pelo destinatário, sendo autodestruído após se passar o tempo preestabelecido. A mesma fonte alega que será possível configurar as mídias para que sejam destruídas de maneira imediata logo após a visualização.

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1021620.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Para esta nova funcionalidade, as expectativas são de que a abrangência abarque as fotos, vídeos e gifs animados. Uma diferença preponderante entre as mensagens deletadas manualmente e as excluídas a partir da nova função é que, no segundo caso, não haverá nenhum tipo de rastro na conversa.

Além da novidade para os arquivos de mídia, as informações dão conta de que o aplicativo de mensagens mais popular do mundo, pertencente ao gigante Facebook, testa também a possibilidade desta autodestruição ser aplicada nas mensagens de texto, sem deixar nenhum tipo de rastro.

A novidade começa a despertar diferentes pontos de vista entre os usuários, dividido os favoráveis e os contrários à nova mudança. Ainda não há uma data oficial para o recurso do “Expiring Media” ser oficialmente lançado pelo aplicativo.

Continue Lendo Comunicar Erro
(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1014215.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://assets.revcontent.com/master/delivery.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
var script=document.createElement(‘script’);script.src=’https://backstage.i7.network/tags/728a61cb4d272644/index.js?rd=’+(Math.random()*10000000000000000);document.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(script);script.onload=function(){new i7Tag({‘placement’:’i7_articles_feed’});}
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Fonte: I7NEWS.IG.COM.BR