Elon Musk vê trabalho como opcional no futuro e promete Tesla Bot para 2022

Tesla Bot (Imagem: Reprodução/Tesla) Tesla Bot (Imagem: Reprodução/Tesla)

O homem mais rico do mundo prevê um futuro onde trabalhar é opcional e robôs conseguem ocupar os empregos e vocações perigosas ou “chatas”. Elon Musk, diretor-executivo da Tesla e fundador da SpaceX, disse em entrevista a um podcast que a Tesla pode entregar ao mercado um robô que consiga fazer as funções que ninguém gostaria de ter: o Tesla Bot. E ele chegaria em 2022, segundo o bilionário.

Empregos “não divertidos” serão obsoletos, diz Musk

Elon Musk é conhecido por suas ideias ousadas. Ele mesmo se define como alguém que gosta de pensar no futuro. Para o presidente da Tesla e da Space-X, muitos empregos daqui para frente se tornarão ultrapassados porque eles simplesmente “não são divertidos”.

“Extrapolando muitos anos à frente, eu penso que muitos empregos vão se tornar opcionais. Tem trabalhos em que se a pessoa não fosse remunerada, ela simplesmente não gostaria de ter aquela função”, disse Musk em entrevista ao jornalista Lex Friedman. O bilionário ainda usou o exemplo de lavar louça por 8 horas ao dia e acrescentou: “Você gostaria de fazer isso? Provavelmente não”.

É aí que a inteligência artificial (IA) da Tesla entraria em ação. Na utopia de Musk, os robôs ocuparão empregos que nenhuma pessoa teria de forma voluntária. Trabalhar no chão da fábrica, lavar louças — a IA poderia fazer tudo isso.

Mas Musk também pensa em empregar robôs para trabalhos que são perigosos aos seres humanos:

“E também existe o trabalho perigoso, e basicamente se faz mal, é chato ou tem o potencial de causar traumas, estresse e ferimentos, esse tipo de coisa, então é quando robôs com características humanas podem ser melhor proveitados, inicialmente. […] Obviamente, teremos que, no futuro, combinar isso com a criação de uma renda universal.”

Ao se perguntar se a Tesla fabricará mais robôs do que carros no futuro — a montadora ultrapassou recentemente a marca de 2 milhões de automóveis produzidos —, Musk responde que essa é uma possibilidade.

Leia Também

“Optimus Subprime” é apelido de Elon Musk ao Tesla Bot

O dono da Tesla deu ao Tesla Bot um apelido meio satírico — Musk também é visto como um sommelier de memes, e os posta frequentemente em seu Twitter. O robô é chamado por ele de “Optimus Subprime”, em alusão ao popular personagem líder dos Autobots, Optimus Prime, da franquia Transformers . O motivo saiu da própria boca do bilionário brincalhão:

“Bom, é porque ele não é exatamente um robô gigante. Ele é mais designado para ser um ajudante pessoal com várias funções. A Tesla, basicamente, tem a inteligência artificial mais avançada do planeta quando se trata de interagir com o mundo real, que nós desenvolvemos para fazer com que o piloto automático dos carros funcionasse.”

A tecnologia de IA da Tesla é bastante avançada porque ela requer um esforço maior da empresa para fazer com que uma rede neural conectada a um único robô funcione.

Robô humanoide da Tesla (Imagem: Reprodução/Tesla) Esse é o Optimus Subprime, segundo Elon Musk (Imagem: Reprodução/Tesla)

Musk cravou que até o final de 2022, o Tesla Bot estará pronto e disponível ao usuário. O CEO, contudo, esquece que outras companhias também estão tentando desenvolver seus próprios robôs e softwares na tentativa de revolucionar o campo da inteligência artificial. Algumas delas tem isso como propósito principal, como a Boston Dynamics. Outras chegaram mais tarde, mas continuam sendo páreas para competir de igual a igual com a Tesla: Samsung, Google, Amazon, entre outras.

Mas esse cenário de robôs humanoides capazes de realizar tarefas do dia a dia ainda está distante, na avaliação do inventor e futurista Raymond Kurzweil. Ele prevê que a humanidade deve resolver o problema da inteligência artificial geral, sendo a capacidade de um robô aprender qualquer coisa falada ou feita por um ser humano, entre 2050 e 2080. Kurzweil é considerado um otimista do ramo de IA.

Previsões de Elon Musk não são estranhas ao fracasso. Em 2019, o bilionário contou ao mundo inteiro como a Tesla estaria prestes a solucionar o último desafio para a produção de um carro completamente autônomo, e que mais de um milhão de táxis com piloto automático seriam entregues em 2021.

Estamos a um dia e meio de 2022 e o número de carros 100% autônomos rodando com o logotipo da Tesla é zero.

Fonte: TECNOLOGIA.IG.COM.BR