Auxílio Emergencial: milhares vão à Justiça para receber benefício do governo e conseguem

O Auxílio Emergencial vem sendo pago a cerca de 67 milhões de brasileiros desde abril. Apesar do número grande de pessoas que estão sendo beneficiadas com o auxílio de R$ 600 – R$ 1.200 para mães de família, há muitos que não receberam, porque foram bloqueadas ou tiveram o benefício cancelado.

A Advocacia-Geral da União (AGU) informou que mais de 62 mil pessoas, que tiveram o Auxílio Emergencial negado, procuraram a Justiça para resolver o caso. Segundo a AGU, desse montante, cerca de 21% (cerca de 13 mil pessoas) saíram vitoriosas – os outros 79% ou tiveram os pedidos negados ou o processo ainda está em andamento.

Em caso de vitória, os dados são enviados ao Ministério da Cidadania para que o pagamento seja realizado. Há pessoas, neste grupo, que conseguiram receber as cinco parcelas de uma só vez. Quem teve o benefício negado, bloqueado ou cancelado pode ir à Defensoria Pública da União (DPU) e entrar com uma ação. Se a decisão for favorável, a pessoa recebe o Auxílio Emergencial.

 

Auxílio Emergencial será prorrogado até dezembro

O Auxílio Emergencial, conforme já foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), será prorrogado até dezembro. O valor será de R$ 300, mas nem todos que receberam as primeiras cinco parcelas continuarão recebendo o auxílio.

 

De acordo com o ministro Onyx Lorenzoni, os gastos com o auxílio devem passar da casa dos R$ 300 bilhões ao final das quatro parcelas extras de R$ 300. O endividamento do Governo Federal está muito elevado, devido aos gastos com o benefício.

 

Fonte: www.i7news.com.br