Bolsonaro fala sobre fim de Auxílio Emergencial e rechaça pensamento em reeleição

Bastante ativo nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez uma série de publicações em sua conta oficial no Twitter nesta terça-feira (29).

Entre os assuntos abordados pelo chefe do Executivo esteve o Auxílio Emergencial, programa criado pelo Governo Federal para ser um alento aos brasileiros, por conta da crise instaurada em razão da pandemia.

Segundo Bolsonaro, o Auxílio Emergencial não é uma medida permanente.

 “O Auxílio Emergencial, infelizmente para os demagogos e comunistas, não pode ser para sempre”, afirmou o presidente em um tweet.

Criado no primeiro semestre, o Auxílio Emergencial foi prorrogado duas vezes.

Depois das três parcelas de R$ 600, o governo estendeu o benefício com mais dois pagamentos, e, no início deste mês, oficializou a sequência do programa até dezembro, mas agora com cotas de R$ 300.

Mas nem todos os brasileiros receberão as quatro parcelas, conforme calendário divulgado na noite da última segunda-feira (28).

Desde sua criação, o Auxílio Emergencial já atendeu mais de 67 milhões de brasileiros, e já representa um gasto aos cofres públicos de mais de R$ 200 bilhões.

Reeleição?

Ainda nas redes sociais, Jair Bolsonaro negou estar preocupado com campanha para a sua reeleição em 2022, classificando os rumores como criação da oposição e de boa parte da imprensa. 

“Minha crescente popularidade importuna adversários e grande parte da imprensa, que rotulam qualquer ação minha como eleitoreira. Se nada faço, sou omisso. Se faço, estou pensando em 2022“, escreveu o presidente, aproveitando também para criticar as medidas de isolamento adotadas por vários estados, que na visão dele foram arrebatadoras para o crescimento do desemprego. 

i7 News