Auxílio Emergencial: em meio a discussão sobre prorrogação, informação revoltante é divulgada

Milhões de brasileiros que recebem o Auxílio Emergencial estão no aguardo de informações oficiais da manutenção do benefício para o ano que vem.

Tudo indica que isso não deve acontecer. O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, já abordaram o assunto. Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, também comentou sobre o assunto e deu indícios de que não deve haver prorrogação.

O Auxílio Emergencial começou a ser pago em abril.

As três parcelas iniciais foram de R$ 600. Em seguida, o governo federal estendeu o pagamento por mais dois meses.

No fim de agosto foram informados mais quatro pagamentos, dessa vez de R$ 300. Em dezembro, o pagamento chega ao fim.

Em meio a tudo isso, uma informação revoltante foi divulgada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que identificou que 10.724 candidatos a prefeitos e vereadores com patrimônio superior a R$ 300 mil receberam o benefício pago para pessoas de baixa renda.

Cerca de 5.873 candidatos que declaram patrimônio entre R$ 300 mil e R$ 500 mil ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) receberam o Auxílio Emergencial.

Entre aqueles que declararam patrimônio superior a R$ 1 milhão, 1.320 candidatos receberam o benefício.

O Auxílio Emergencial foi proposta para ser pago para beneficiários do Bolsa Família, desempregados, autônomos e microempreendedores individuais (MEIs). Para receber o benefício, era necessário ter renda mensal de meio salário mínimo por membro da família. Milhares de pessoas em todo o Brasil receberam o benefício indevidamente.

 

Fonte: www.i7news.com.br/noticia/27048/economia/auxilio-emergencial-em-meio-a-discussao-sobre-prorrogacao-informacao-revoltante-e-divulgada-30102020