Caso Henry Borel: mãe e padrasto do garoto dão versões diferentes para a Polícia Civil

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

A morte do garoto Henry Borel, de 4 anos, ganhou mais um momento importante nesta sexta-feira (19) ao ser exibida no Jornal Nacional, da Rede Globo. O telejornal é o mais assistido da TV brasileira e o que é exibido no JN costuma ter um alcance e repercussão muito grande.

Henry Borel morreu na madrugada do dia 8 de março, uma segunda-feira. Ele havia passado o fim de semana com o pai, o engenheiro Leniel Borel, e foi levada para a mãe na noite do domingo. Monique Almeida mora em um apartamento da Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, com o padrasto do garoto, o vereador Dr. Jairinho.

O Jornal Nacional mostrou que a primeira versão dada por eles, ainda no Hospital Barra D’Or, para onde Henry foi levado e chegou já sem vida, o casal teria ido ao quarto onde o menino estava depois de ouvir um barulho feito por ele durante a madrugada.

var vitag = vitag || {};
vitag.outStreamConfig = {
distanceBottom: 65, // 0- 120 px,
}
vitag.videoDiscoverConfig = { random: true, noFixedVideo: true }; (vitag.Init = window.vitag.Init || []).push(function () { viAPItag.initInstreamBanner(“vi_937432432”) });
(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1021620.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Na versão dada à Polícia Civil na 16ª DP da Barra da Tijuca, Monique contou que ela e o namorado assistiam série no quarto de hóspede, enquanto Henry dormia no quarto do casal. Por volta das 3h30, ela acordou com o barulho da TV e foi ao outro quarto ver como o filho estava. O menino estava gelado.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Nesta versão, Monique não falou sobre o barulho feito pelo filho. A Polícia Civil segue investigando o caso e tenta entender tudo o que aconteceu e o que causou a morte por hemorragia e laceração hepática no garoto de apenas quatro anos. Segundo laudo do Instituto Médico Legal (IML), os danos foram causados por ação contundente. Por enquanto, não há como dizer o que aconteceu com Henry. 

Continue Lendo Comunicar Erro
(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1014215.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
var script=document.createElement(‘script’);script.src=’https://backstage.i7.network/tags/728a61cb4d272644/index.js?rd=’+(Math.random()*10000000000000000);document.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(script);script.onload=function(){new i7Tag({‘placement’:’i7_articles_feed’});}
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Fonte: I7NEWS.COM.BR