Transformado em “escudo humano” por membro de facção criminosa, rondoniense é assassinado a tiros em Manaus

Mecânico de 34 anos era filho de uma artesã de Vilhena


Na antevéspera do Dia das Mães, uma artesã de Vilhena perdeu o filho de forma trágica em Manaus (AM): o rapaz de 34 anos foi assassinado a tiros, após ser transformado em “escudo humano” pelo membro de uma facção criminosa na capital amazonense.

Segundo publicou um site manaura, na sexta-feira, 06, cinco bandidos armados começaram a atirar num homem identificado como Alexandre Azevedo Costa, 24, conhecido como “Papudinho”, líder de uma organização criminosa. O alvo da execução correu durante ataque e usou o vilhenense Reberson Barros dos Santos como escudo.

Moradores do bairro onde aconteceu o duplo assassinato disseram que “Lacraia”, como o vilhenense era conhecido, era trabalhador, um dos melhores mecânicos do bairro, não tinha nada a ver com a situação e nem envolvimento com o crime.

O mecânico que acabou servindo de escudo humano para o bandido foi atingido por 5 tiros e morreu no local0. Já “Papudinho” (FOTO SECUNDÁRIA) foi atingido por 4 disparos e chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na UPA de Manaus, para onde foi levado.

O corpo de Reberson será sairá hoje Manaus, e chegará de avião em Porto Velho, de onde virá para Vilhena. Amigos fizeram uma “Vakinha Virtual” e conseguiram arrecadar o valor para pagar pelo translado. O mecânico morava havia vários anos na capital amazonense.



Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação