Dirigente do Real Madrid admite que faria tudo por Messi: ‘pedir ajuda do Papa’

Messi Divulgação Messi

O ex-presidente do Real Madrid , José Ramón Caldéron, deixou clara sua admiração por Lionel Messigrande astro do rival  Barcelona .

“Eu faria de tudo para trazer Messi para o Real Madrid. Eu iria à Roma e voltaria para pedir ajuda ao Papa. Faria isso para que ele estivesse conosco”,  disse ao Super Deportivo, na Rádio Villa Trinidad.

imagem21-04-2021-13-04-15 Foto: Instagram imagem21-04-2021-13-04-15 Foto: Instagram imagem21-04-2021-13-04-15 Foto: Instagram imagem21-04-2021-13-04-16 Foto: Instagram imagem21-04-2021-13-04-16 Foto: Instagram imagem21-04-2021-13-04-16 Foto: Instagram imagem21-04-2021-13-04-17 Foto: Instagram imagem21-04-2021-13-04-17 Foto: Instagram imagem21-04-2021-13-04-17 Foto: Reprodução / Barcelona imagem21-04-2021-13-04-18 Foto: Instagram imagem21-04-2021-13-04-18 Foto: OLÉ/REPRODUÇÃO imagem21-04-2021-13-04-18 Foto: AFA/DIVULGAÇÃO imagem21-04-2021-13-04-18 Foto: Reprodução imagem21-04-2021-13-04-19 Foto: Divulgação imagem21-04-2021-13-04-19 Foto: Reprodução imagem21-04-2021-13-04-19 Foto: Instagram imagem21-04-2021-13-04-20

O ex-comandante do time merengue, porém, lembrou que a chegada do argentino inviável. “Contratar Messi? Era uma coisa impossível, porque ele já estava envolvido no Barcelona. Por isso contratei o Cristiano Ronaldoessa era a minha obsessão e ele era o outro jogador do momento. Tivemos a sorte de tê-lo contratado e ele se saiu muito bem. Ganhamos muita coisa”, disse.

Em relação à competição entre os dois jogadores, Calderón foi contundente. “Tivemos a sorte de ter os dois no nosso futebol e, assim, eles se tornaram cada vez melhor”, apontou.

O ex-presidente aproveitou para criticar o atual comandante do Real Madrid, Florentino Pérez. “Ele vendeu o Cristiano, com quem nunca teve um bom relacionamento. Quando ele chegou, viu o contrato e não quis cumpri-lo. Eles o convenceram de que era uma loucura. Ele (Pérez) tem muitas virtudes e faz bem a maioria das coisas, mas não aceita as heranças que recebe. É um dos pequenos defeitos que possui. O mesmo aconteceu com Raúl e Casillas. É uma pena”, concluiu.

Fonte: ESPORTE.IG.COM.BR