Bustos abre o jogo: Vida no CT, evolução tática e elogios para a estrutura do Santos

LANCE!/DIARIO DO PEIXE Bustos abre o jogo: Vida no CT, evolução tática e elogios para a estrutura do Santos

O técnico Fabián Bustos chegou ao Brasil no dia 28 de fevereiro de 2022 para treinar o Santos. Mesmo em pouco tempo no clube, viveu decisões como uma classificação nos pênaltis para próxima fase da Copa do Brasil e o drama de um possível rebaixamento no Paulistão.

E, diferente de muitos de nós que contam com o apoio presencial da família, o treinador argentino, no começo, não viveu isso. Ele só pode ter a companhia de sua esposa e filhas em Santos um mês depois de sua chegada. Bustos contou, em entrevista exclusiva ao LANCE!/DIÁRIO DO PEIXE, que ficou por um dia em um hotel e, após isso, mudou para o CT Rei Pelé.

– No hotel estivemos só uma noite. A partir daí, ficamos no CT porque tínhamos tudo, estávamos perto, podíamos ver mais materiais, estar com os meninos que fazem as análises dos jogos e tínhamos todas as comunidades. Porque o clube, em todas as áreas, estava muito bem organizado. Faz uns dias que chegou minha família. Estou muito contente que eles estão aqui e agora estamos em um apartamento todos juntos – disse Bustos.

E MAIS:

Por conta do calendário apertado, o técnico do Peixe teve pouco tempo para conhecer os pontos turísticos da cidade. Por sua decisão, os dias foram marcados por treinos em dois períodos: às 8 horas e às 16 horas. Na última semana, por exemplo, o elenco do Alvinegro seguiu essa programação de terça-feira até sexta.

– A cidade eu conheci uma parte agora, porque minha família chegou e pude visitar um pouco – não muito, mas um pouco porque tive muitos turnos duplos, treinamentos em dois horários, por isso não tive tanto tempo, mas aproveitamos um pouco – comentou.

Adaptação ao clube

Bustos é um técnico que gosta de intensidade. Os treinos intensos mudaram os trabalhos e a parte física. Os atletas não estavam acostumados com atividade de tanta velocidade. Isso faz com que todos os setores do clube passem por melhorias e, como de se esperar, mudanças no dia a dia.

– A adaptação foi muito boa porque realmente o grupo, o nível de trabalho do executivo de Edu e todo sua equipe, o gerente do clube, o lado esportivo, todo o administrativo, todo o departamento médico, fisiologista, nutricionista, fisioterapeuta, massagista, a segurança, roupeiro, as pessoas da cozinha, as pessoas da análise de desempenho, é um grupo muito compenetrado, muito positivo e me fizeram sentir como se eu estivesse há muito tempo no clube – disse.

– O ambiente do clube sempre foi positivo, sempre houve muita pré-disposição do staff que tem a instituição, entre as pessoas que trabalham lá. Nunca encontramos um ambiente pesado, pelo contrário, tudo sempre foi muito positivo, as pessoas estão sumamente compenetradas com o resultado e dar o melhor para que o Santos siga adiante – afirma Bustos.

Elogios para estrutura do Santos

Engana-se quem acredita que apenas a parte do futebol chamou atenção de Fabián Bustos. A comunicação, por exemplo, além de setores importantes para o funcionamento do clube ganharam elogios do novo chefe santista.

– O clube está sumamente profissional e muito eficiente em todas as áreas. Na parte de comunicação, de marketing, de administração, a gerência esportiva, o executivo com sua equipe de trabalho, os terapeutas, a parte médica, os professores de recuperação, da academia, os nossos assistentes. Em todas as áreas, temos o melhor. No vestiário, na cozinha. Tudo muito profissional, tudo em um nível ótimo – completou.

Luta contra o rebaixamento e evolução da base

A chegada do treinador ao Santos não foi fácil. No meio do estadual e na Copa do Brasil, o Peixe lutava para não cair no Campeonato Paulista. O último jogo da primeira fase no regional iria definir o futuro santista: rebaixamento, classificação para próxima fase ou uma eliminação pelo segundo ano seguido sem classificação à próxima fase.

Acabou que o Santos ficou de fora, mas evitou rebaixamento. Isso permitiu que a comissão técnica tivesse duas longas semanas de treinos. Além da chegada de reforços, Bustos destaca a evolução dos garotos da base santista nesse período.

– A situação esportiva estava complicada, porque estava em um momento muito difícil – que por sorte pudemos superar -, mas o trato com a gente, e acho que a gente com todos no clube, é muito cordial, muito positivo e estamos tendo uma ótima convivência. Notamos um grande crescimento dos meninos, tanto na área física quanto emocional e tática. Porque vemos que todos que tentamos, outras formas de trabalhar, outros conceitos que tentamos que eles assimilem, estão fazendo de maneira muito boa – finalizou Fabián Bustos.

E MAIS:

Fonte: ESPORTE.IG.COM.BR