Reviravolta: polícia descarta tiro acidental e diz que amiga atirou em Isabele para matar

A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre o caso da adolescente Isabele Guimarães Ramos, que foi morta por um suposto tiro acidental durante visita à uma amiga em um condomínio de luxo em Cuiabá. De acordo com o site UOL, a polícia descartou a hipótese de tiro acidental e afirmou que a amiga de Isabele, responsável pelo disparo, possuía plena consciência dos riscos de apontar uma arma para a adolescente.

Através de depoimento, a amiga de Isabele contou que teria disparado acidentalmente ao guardar a arma dentro de uma case. Porém, após contradições nos depoimentos da menina em conjunto com a perícia, esta hipótese não foi considerada pela polícia.

Na tarde da última quarta-feira (2), o delegado responsável pelo caso, Wagner Bassi, afirmou que a adolescente possuía plena noção sobre o manuseio da arma, já que pratica tiro esportivo junto à sua família apesar de seus 14 anos de idade.

“Era uma adolescente treinada, capacitada. Quando fazemos treinamento de tiro, antes de pegar na arma, aprendemos uma situação que chama segurança. Aprendemos a desmuniciar e olhar se a arma está carregada”, disse Bassi.

 

Ainda de acordo com a polícia, a adolescente teria apontado a arma para o rosto de Isabele à uma distância de cerca de 30 centímetros. Por ser menor de idade, a adolescente responderá por ato infracional análogo a homicídio doloso, ou seja, quando há a intenção de matar.
Isabele faleceu com um tiro na região do rosto. A adolescente chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

 

Fonte: www.i7news.com.br