Auxílio Emergencial: internautas se revoltam após anúncio de Bolsonaro

O Auxílio Emergencial já alcançou milhões de brasileiros, em meio à crise causada pela pandemia da Covid-19. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais da metade da população nacional teve acesso à ajuda financeira, direta ou indiretamente. A princípio, os beneficiários receberiam apenas três parcelas de R$ 600, mas, posteriormente, o programa foi prorrogado por mais dois meses.

Na manhã desta terça-feira (01), o presidente Jair Bolsonaro confirmou que o benefício será estendido por mais quatro meses, totalizando nove parcelas. Apesar da prorrogação, internautas ficaram revoltados com o anúncio do mandatário, após a divulgação do novo valor do auxílio: R$ 300 até dezembro.

Quem sobrevive com R$ 300,00? E quem paga aluguel e tem filhos e está desempregado, será que consegue sobreviver com R$ 300,00? Me responda, meu digníssimo presidente! Precisamos trabalhar para trazer o sustento para nossa família, mas cadê o emprego?“, criticou uma usuária do Twitter.

Novo valor do Auxílio Emergencial causa polêmica e internautas começam campanha nas redes sociais

Nas redes sociais, o novo valor do benefício gerou revolta e, com isso, internautas iniciaram uma campanha para os R$ 600 serem mantidos. No Twitter, a hashtag “600 pelo Brasil” entrou para os assuntos mais comentados do País, com milhares de tuítes. Os usuários publicaram fotos com o preço de itens básicos como o arroz – em uma das postagens, o alimento aparece com o valor de mais de 20 reais (5 kg).

Não vamos deixar o Bolsonaro reduzir o valor do Auxilio Emergencial de R$600,00 para R$300,00 até dezembro. Vamos pressionar os deputados e senadores para não aceitarem a redução do valor. #600PELOBRASIL“, postou um internauta.

 

Fonte: www.i7news.com.br/