Visagismo: as multifaces da percepção e construção da imagem

Quando se pensa na aparência de algo ou alguém, há uma associação imediata e direta com beleza. A referência ao Visagismo – ciência que trabalha pela busca da harmonização e equilíbrio de imagens – rapidamente cria um entendimento de que profissionais do setor da beleza são os mais indicados para se especializar nesta área de conhecimento. Não é mentira. Porém, trata-se de uma afirmação simplista ao se levar ao fundo a compreensão de tudo o que pode ser oferecido a quem busca compreender as multifaces do Visagismo.

“Quando falamos das muitas possibilidades do Visagismo, estamos nos referindo principalmente ao profissional que trabalha na preparação da imagem. Dentro do universo da beleza, temos uma abrangência enorme, é verdade, mas tudo vai muito além”, afirma Robson Trindade, mestre e doutorando em Visagismo e responsável por trazer esta ciência para dentro das universidades brasileiras, desde 2006.

O Visagismo na área da beleza

Quando questionado sobre os ganhos para cabeleireiros, barbeiros e maquiadores, Prof. Ms. Robson Trindade é enfático ao afirmar que são muitos e extremamente significativos, pois são estes profissionais que estão na linha de frente do preparo da imagem das pessoas. Mas, aprofunda-se, “Esteticistas, designers de sobrancelhas micropigmentadores, dermopigmentadores, tatuadores, manicures, pedicures, depiladoras, podólogos, figurinistas, consultores de imagem e uma lista que não tem fim”.

Para ele, o mais correto é insistir na necessidade de sair do âmbito da função de cortar o cabelo – que julga ainda ser um comportamento automático na sociedade – para uma ampliação que se define em uma plataforma de estrutura da saúde que utiliza também os recursos da área da beleza.

“Tudo o que diz respeito à saúde envolve bem-estar, que se traduz em imagem, mas também em comportamento. No Visagismo, entendemos com embasamento teórico que a imagem deve passar um discurso, comunicar um objetivo específico e bem definido. Por exemplo: parecer um chefe de família, um viúvo, uma jovem, uma mulher, uma senhora, alguém muito forte, muito fraco, sexy, intelectual.

O que você pensar, pode parecer”, pontua #OsTrindade, Robson Trindade, a Profª. Ms. Tania Trindade e Profª. Especialista Thaís Trindade Melro Milhomens. Portanto, o mestre Visagista tem como objetivo transitar em diversas áreas de conhecimento para provar que a ciência na qual se especializou não é uma ferramenta que deva ser utilizada única e exclusivamente por profissionais da beleza. Mas, também por eles.

“É uma caixa de ferramentas que serve para você utilizar no conhecimento do outro.

É como você faz para entender quem é o outro e quem ele parece ser externamente. Na beleza, estamos falando da manipulação na construção do personagem. Mas, há muito que está no lado interior do ser que também é estudado e avaliado pelo Visagismo”, enfatiza Prof. Esp. Thaís Trindade Melro Milhomens.

O Visagismo e outras áreas de atuação

Quando perguntado sobre outras áreas que podem se beneficiar das ferramentas oferecidas pelo Visagismo, o Consultor Visagista Robson Trindade não titubeia em garantir que são muitas – e surpreendentes. Mas, seu olhar ganha um novo brilho quando cita profissionais que trabalham na área de Recursos Humanos de algumas empresas.

“Sim, há recrutadores com formação em Visagismo. Depois de vários processos de pesquisa, avaliações e entrevistas, os candidatos restantes são avaliados com critérios como a atividade profissional a ser desempenhada. Se é mais lógica, preferência para quem tem a parte racional mais dilatada.

Quem vai ficar na linha de frente na lida com público, por exemplo, pessoas que são mais intuitivas e emocionais. As mais criativas para os departamentos de desenvolvimento. Ou seja, colocam profissionais nas suas devidas funções, onde eles desempenham melhores resultados”.

Segundo Consultora Visagista Tania Trindade, são diversas vertentes e possibilidades. Especialistas em Visagismo podem ser experts em avaliar comportamento de crianças nas escolas ou podem se destacar na polícia em análises de depoimentos para detectar se o que se diz é verdade ou mentira.

“Tudo é possível se avaliar quando qualquer profissional, de qualquer área, conhece o Visagismo e coloca em prática as ferramentas que estão nessa ‘caixa de Pandora’. Mil possiblidades! Nos tornamos mais poderosos no sentido de avaliar a outra pessoa, avaliar o par, quem interage, faz negócios ou se relaciona com você”, garante. O Visagismo como ciência acadêmica.

Por acreditar e vivenciar o Visagismo de uma forma tão intensa desde o final da década de 2000, Robson Trindade se transformou no pioneiro em trazer esta ciência para dentro das universidades brasileiras. Atualmente, há cursos de graduação, pós-graduação, especialização e MBA sob sua coordenação.

“O Visagismo tem poder! Através de ferramentas que foram desenvolvidas por meio de protocolos e procedimentos reconhecidos perante a academia e frutos de muita pesquisa, hoje existe um embasamento acadêmico em cima deste segmento hoje. De 14 anos para cá, saímos de um conceito do achismo e vivemos uma época extremamente evolutiva e interessante”.

Para ele, que é o principal nome no Brasil quando se fala em Visagismo, os estudos e o trabalho podem ser desenvolvidos pensando em todas as áreas da tecnologia que compõem os melhores mecanismos de observação do outro para entendê-lo em todos os ambientes.

“Ainda que o mais utilizado sejam os recursos de embelezamento, este é um pequeno viés. O Visagismo trabalha a favor da imagem, da beleza, da adaptação do indivíduo ao meio que ele vive, com quem ele se relaciona e os seus desejos”, encerra Prof. Ms. Doutorando no departamento de Tecnologias da Inteligência e Design Digital – TIDD PUC/SP, Robson Trindade.

Mais uma vez inovando, com atendimentos 100% Online e entrega digital.

Por: Claudia Rocco

www.robsontrindade.com.br

www.livrosdevisagismo.com.br

Website: http://www.birodevisagismo.com.br

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/dino/2020-09-04/visagismo-as-multifaces-da-percepcao-e-construcao-da-imagem.html