Mulher vai à hospital dar à luz, falece durante o parto, mas 'volta à vida' e pode conhecer seu bebê

Uma mulher contou que morreu enquanto estava internada em um hospital para dar à luz. Michelle Brooks, de 27 anos, afirmou que seu coração parou momentos depois de ela dar entrada na unidade de saúde e sua história repercutiu.

Michelle havia reclamado de dores no peito antes de ir para o hospital, porém sua parteira disse que não se tratava de nada grave. Porém, os sintomas persistiram e a mulher não viu outra opção senão ir às pressas para a unidade de saúde.

A britânica foi levada para o Conquest Hospital, um hospital do Serviço Nacional de Saúde localizado em St Leonards-on-Sea em Hastings, East Sussex, Inglaterra. Quando chegou à unidade, Michelle entrou em trabalho de parto.

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1021620.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

No hospital, os médicos disseram que a mulher estava com pré-eclâmpsia e que ela precisa dar à luz quanto antes. Foi nessa hora que Michelle afirma ter falecido: “Minutos em trabalho de parto, meu coração parou de bater. Eu morri oficialmente por alguns minutos e tive que ser trazido de volta à vida“, disse a britânica.

Enquanto a equipe médica tentava trazer ao mundo a pequena Honey, também tentavam de tudo para salvar a vida de sua mãe. “Os médicos tiveram que continuar me sacudindo para me manter viva”, disse Michelle, que afirma não se lembrar de nada a partir do nascimento do bebê.

A mulher disse que pensou que iria morrer, pois, sentia uma dor muito mais forte do que a do parto. Depois de um tempo no hospital após ter sido trazida de volta à vida, os médicos disseram que Michelle sofreu de uma síndrome rara chamada hemólise, enzimas hepáticas elevadas e plaquetas baixas, que fez com que seu coração parasse.

Como a doença provoca coágulos de sangue e afeta o fígado, 25% das mulheres falecem em decorrência dela. Porém, quando a mulher dá à luz, o risco começa a reduzir. Michelle, contudo, acredita que pode morrer a qualquer momento e que se sente como uma bomba-relógio.

Continue Lendo Comunicar Erro
(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1014215.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Fonte: I7NEWS.IG.COM.BR